Ex-gerente da Apple é condenado por fraude, conspiração e lavagem de dinheiro

Por Redação | 08 de Dezembro de 2014 às 12h53

O ex-gerente global de suprimentos da Apple, Paul Shin Devine, foi condenado por um tribunal federal de San Jose a um ano de prisão e o pagamento de US$ 4,5 milhões pelos crimes cometidos. Ele foi condenado por fraude eletrônica, conspiração e lavagem de dinheiro em relação à venda de iPhones, além de revelar segredos de componentes para fornecedores da Apple.

Segundo a acusação, Devine recebeu milhões em propinas em um esquema onde ele passava informações confidenciais para fornecedores da Apple e também fabricantes que usavam os segredos para realizar acordos mais vantajosos. O julgamento e a sentença vieram três anos após o ex-gerente ter confessado os crimes e ter se declarado culpado por fraude eletrônica, conspiração e lavagem de dinheiro. As informações são do 9to5mac.

Em 2010, quando o caso veio a público, o porta-voz da Apple, Steve Downling, afirmou que “a Apple está comprometida com os mais elevados padrões éticos na forma como fazemos negócios. Temos tolerância zero para comportamentos desonestos dentro ou fora da empresa”.

A acusação não nomeou as empresas que foram beneficiadas pelo esquema que envolvia Devine, mas eles foram descritos como fornecedores de materiais projetados para os produtos iPhone e iPod da Apple. As informações também faziam referência que essas empresas estavam localizadas em “vários países na Ásia”, incluindo China, Coreia do Sul, Taiwan e Singapura.

Em 2010, quando o esquema foi descoberto, a Apple tinha o objetivo de recuperar pelo menos US$ 1 milhão de Devine pelos crimes cometidos com prejuízo da empresa. Não está claro por que o valor aumentou para US$ 4,5 milhões em três anos. Assim como não foi esclarecido por que Devine foi condenado a um ano de prisão, sendo que ele chegou a enfrentar um pedido de 20 anos de encarceramento.

É possível que a redução do tempo na prisão seja em decorrência da ajuda para a condenação de outros envolvidos no esquema, que foram condenados na semana passada. Pode ser também que durante essa parte da investigação foi possível estabelecer que a quantidade de suborno foi muito mais alta do que a relatada inicialmente, o que pode ter ajudado a elevar os valores pagos por Devine.

Paul Devine foi gerente global de suprimentos da Apple entre 2005 e 2010, quando o esquema foi revelado. Atualmente, o LinkedIn dele ainda o apresenta como um funcionário da Apple.

Fonte: http://9to5mac.com/2014/12/07/former-apple-global-supply-manager-paul-devine-sentenced-to-a-year-in-prison-and-4-5m-fine/

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.