Europa quer combater monopólio do Google e dividir empresa em duas

Por Redação | 24.11.2014 às 15:48 - atualizado em 24.11.2014 às 16:47
photo_camera Divulgação

O Google é um gigante absoluto da internet. Grande parte desse sucesso aconteceu por conta do seu motor de busca eficiente, resultando em um monopólio orgânico no segmento de pesquisas online. Acontece que essa grandeza tem incomodado o pessoal da Europa, que já entrou com diversas medidas para aumentar a concorrência de mercado e até mesmo barrar algumas das iniciativas da empresa de Mountain View.

Agora, o governo europeu está trabalhando para separar o Google em duas empresas diferentes. Uma delas abrigaria os serviços do buscador, enquanto a outra ficaria com todos os outros serviços e produtos da companhia. A intenção, de acordo com um comunicado da União Europeia, é aumentar competitividade no setor de buscas feitas na internet.

Um ponto bastante curioso nessa campanha europeia é a sutileza de todo o caso. De acordo com os dados divulgados no site ArsTechnica, um comunicado da União Europeia alega apenas que, para haver uma concorrência benéfica aos usuários, é necessário que as empresas de busca na internet sejam separadas de seus outros serviços e que tornem públicos os dados recolhidos em seus trabalhos.

"O mercado de busca online é de fundamental importância para garantir condições de concorrência dentro do Mercado Único para Telecomunicações, dado o potencial desenvolvimento de motores de busca concorrentes melhores e a possibilidade da comercialização das informações obtidas. A proposta incentiva a Comissão a aplicar as regras de concorrência da UE decisivamente, com base na entrada de todas as partes interessadas no Mercado Único para Telecomunicações, a fim de assegurar soluções que realmente beneficiem os consumidores, usuários de internet e negócios online", diz o comunicado europeu.

Em outras palavras, sem citar o nome do Google, eles pretendem dividir o buscador de serviços da própria gigante que são beneficiados pelos dados recolhidos pelas pesquisas realizadas. Ao mesmo tempo, a União Europeia deseja que a companhia de Mountain View compartilhe seus dados com a concorrência – imagine uma plataforma menor de buscas com os dados de perfis de clientes traçados pelo Google.

A companhia ainda não se pronunciou sobre o caso.