Estudo: valor de computadores caiu cerca de 61% nos últimos dez anos

Por Redação | 14.06.2013 às 17:19

Os resultados do último Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), responsável pela medição da inflação no Brasil, revelaram que os computadores foram os eletroeletrônicos que mais apresentaram queda em seus valores nos últimos dez anos, com os preços caindo cerca de 61,32%. A pesquisa também afirma que o custo de vida do brasileiro aumentou 81,04% na última década.

A categoria de eletroeletrônicos, composta por televisores, aparelhos de som e informática, foi a que mais apresentou queda em seus valores nos últimos dez anos, em média, de 52,62%, segundo os dados do IPCA. Os computadores, por sua vez, foram os que apresentaram maior redução do que a média devido principalmente a incentivos fiscais, produção nacional de componentes, queda do dólar, aquecimento da economia brasileira e o aumento da escala de consumo nacional, que coloca o país, hoje, entre um dos principais consumidores de PCs em todo o mundo.

"A queda do preço do computador, aliada à maior diversificação dos produtos no mercado brasileiro e um esforço conjunto de todo o ecossistema tornaram o projeto de inclusão digital do Brasil um estrondoso sucesso — nunca o computador foi tão acessível para as camadas mais baixas da população", afirmou em nota oficial Fernando Martins, presidente da Intel Brasil. "Dez anos atrás, ter um computador em casa era o sonho de muitas famílias na classe C. Hoje, este sonho nunca esteve tão próximo da realidade".

Como comparativo, o valor do carro zero no mesmo período subiu cerca de 6,23%, mesmo com reduções de impostos como a queda do IPI (Imposto sobre Produto Industrializado) e o aumento no volume de vendas de veículos novos. As quedas nos valores de computadores pessoais indicam que até mesmo os PCs com recursos mais avançados estão mais acessíveis para a população em comparação aos preços de computadores pessoais de dez anos atrás.

Gráfico IPCA

Uma pesquisa recente conduzida pela Intel com famílias das classes A,B,C e D identificou que a maioria já utiliza computador, seja em casa, em Lan Houses, no trabalho ou na escola, mas cerca de 24% dos entrevistados afirmaram que ainda não possuem um PC em sua residência. Essas famílias também afirmaram que a aquisição de um PC é ideal para atender às necessidades de todos os membros da família.

Ainda segundo o estudo, entre as famílias consultadas que não possuem computador em casa, 46% planejam adquirir um nos próximos dezoito meses, e a compra de PC figura entre as prioridades para a maioria dos entrevistados. Do total, 52% dos entrevistados afirmaram que planejam comprar um notebook e 48% pensam em adquirir um desktop, enquanto apenas 8% optariam por um tablet e 5% por um smartphone.