Estudo comprova: jogar videogame melhora capacidade cognitiva dos idosos

Por Redação | 05.09.2013 às 17:30

Com o passar dos anos, manter nosso cérebro ágil deixa de ser uma tarefa simples, e a concepção de atividades para reverter os efeitos mentais do envelhecimento é algo realmente complicado. Mas um novo jogo de videogame, criado por neurocientistas, pode ajudar a manter nossa mente "em forma".

As primeiras pesquisas sobre o assunto mostraram que, com a prática rotineira de determinados jogos, as pessoas podem melhorar a memória e aumentar a velocidade na realização de tarefas. Mas esses resultados foram obtidos em laboratório durante o estudo, o que ainda não provou sua eficiência no cotidiano das pessoas.

Seguindo a tendência de que os jogos devem focar na melhora da capacidade de lembrar-se das coisas e reagir, um grupo de pesquisadores do "The Gazzaley Lab", um laboratório de pesquisa em neurociência cognitiva da Universidade da Califórnia, desenvolveu um jogo chamado NeuroRacer.

Com base em uma pesquisa que mostrou que as distrações tornam-se cada vez mais frequentes nos idosos, o grupo trabalhou em parceria com a indústria de games para criar um ambiente 3D, que teria como alvo o treino de habilidades multitarefa. E é exatamente isso que o NeuroRacer faz: ele lança duas tarefas simultâneas para o jogador realizar.

No jogo, os jogadores devem pressionar um botão sempre que um determinado símbolo aparecer na tela (como um círculo azul, por exemplo) e evitar reagir a outros símbolos que aparecem. Enquanto isso, eles devem usar um joystick para controlar um carro em uma sinuosa pista virtual, cheia de montanhas ao seu redor.

NeuroRacer

Imagem: The Gazzaley Lab

O teste inicial do NeuroRacer foi realizado com a participação de 174 indivíduos, com idades entre 20 e 70 anos. Enquanto eles jogavam, seus cérebros eram escaneados por meio de eletroencefalografia (EEG). Depois, 16 idosos saudáveis com idade entre 60 e 85 anos levaram o NeuroRacer para casa e o jogaram em seus computadores três vezes por semana, durante um mês.

Passado o período, os idosos voltaram ao laboratório para jogar usando os sensores de EEG. Antes e depois desses testes, os participantes passaram por uma bateria de exames cognitivos para medir o nível de suas habilidades, como memória e atenção. Depois de treinar em casa, os idosos apresentaram uma melhora em suas habilidades multitarefa . Na verdade, eles se saíram melhor do que os jovens de 20 anos destreinados.

Os jogadores mais velhos mostraram ganhos de cerca de 100 milésimos de segundo na velocidade de resposta em um teste de memória – o que representa um aumento na capacidade de guardar algo na mente brevemente e depois recuperá-lo. Eles também apresentaram uma melhora em um teste de atenção sustentada, no qual eles tinham que permanecer vigilantes e reagir rapidamente a uma mudança na tela.

Os resultados completos do teste foram publicados esta semana na conceituada revista Nature, e mostram basicamente que um jogo de videogame pode melhorar o desempenho cognitivo em idosos saudáveis. Para os pesquisadores, o estudo fornece uma espécie de apoio científico para o campo emergente da aptidão do cérebro, já que aponta que é possível induzir mudanças duradouras e significas nos efeitos do envelhecimento cerebral.