Estudo: 70% das empresas não têm projetos para atender ao eSocial

Por Redação | 16 de Setembro de 2013 às 07h55

Um levantamento da Thomson Reuters mostra que, há menos de seis meses do prazo, 70% das empresas ainda não estão preparadas para o chamado eSocial. O projeto prevê mudanças na implantação digital da folha de pagamento e no envio de informações ao governo. Cerca de 6 milhões de companhias em todo o Brasil deverão se adequar à novidade a partir do primeiro trimestre de 2014.

A proposta visa desburocratizar o envio das informações fiscais, previdenciárias e trabalhistas, assim como melhorar o controle da arrecadação dos tributos. O eSocial abrange o envio unificado de arquivos trabalhistas para a Receita Federal, o Ministério do Trabalho, o INSS e a Caixa Econômica Federal. A premissa é que o projeto reúna todas as declarações, resumos para recolhimento de tributos da relação trabalhista e previdenciária, assim como informações relevantes sobre o contrato de trabalho.

Apenas 7,5% das 2 mil empresas entrevistadas já têm um planejamento para o eSocial em andamento. Entretanto, 30% disseram estar se preparando para as mudanças, com projetos que, na maioria dos casos, ainda não saíram do papel.

PECHINCHAS, CUPONS, COISAS GRÁTIS? Participe do nosso GRUPO DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A integração de informações de fontes variadas é apontada como principal preocupação dos gestores, apontada por 61% na pesquisa. Os dados são integrados a partir de setores como Recursos Humanos, Medicina do Trabalho, Fiscal, Jurídica e Contábil, e formam um portfólio valioso para as companhias que deve ser compartilhado com o governo digitalmente, agilizando e modernizando o processo de captura de dados.

Já 41% indicam a mudança cultural na companhia como maior barreira a ser enfrentada, enquanto a qualidade do conteúdo mostrou-se um desafio para 21%. A mudança de processos internos e de governança também serão necessidades que preocupam 38,5% dos consultados

"Este resultado evidencia a necessidade de processos aderentes ao novo modelo", diz Marcos Bregatim, diretor dos negócios de Software da unidade de Tax & Accounting da Thomson Reuters no Brasil. "É necessário um processo de governança e compliance integrado para que as empresas não acabem delegando a responsabilidade pelas informações do eSocial a apenas uma área da empresa".

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.