Estados Unidos investem no ensino de Ciência da Computação para crianças

Por Redação | 04.06.2014 às 16:40

Os Estados Unidos estão investindo mais no ensino de aulas de codificação e ciência da computação durante a educação básica. Segundo reportagem do New York Times, cerca de 30 distritos escolares vão adotar o ensino de codificação a partir do próximo ano letivo. Alunos do ensino médio são os mais beneficiados, mas a medida também se estende a algumas escolas de ensino fundamental.

Segundo o Code.org, grupo apoiado pelo setor de tecnologia, desde dezembro do ano passado 20 mil professores introduziram aulas de codificação entre a pré-escola e o 12º ano. Em nove Estados norte-americanos o ensino de ciência da computação deixou de ser uma matéria eletiva e passou a ter o mesmo valor de matérias tradicionais, como matemática.

O grupo recebeu contribuições de empresas como o Facebook de até US$ 10 milhões, o que alguns consideram preocupante. A organização, no entanto, tem custeado a formação de professores do secundário para que eles possam dar aulas mais avançadas. Para alunos menores, o grupo desenvolveu um currículo diferenciado, com informações mais básicas e introdutórias utilizando jogos como Angry Birds.

Neste caso as aulas não utilizam a linguagem básica da programação, mas comandos simples como “avançar” e “virar à esquerda” para facilitar a compreensão. Esse tipo de recurso surgiu em 2007 no Laboratório de Mídia do Massachusetts Institute of Tecnology (MIT) com o desenvolvimento da linguagem de programação visual Scratch, que tem sido difundida pela Code.org entre escolas e educadores.

Não se sabe se no futuro o ensino destas disciplinas realmente ajudarão os estudantes a conseguirem uma melhor colocação no mercado ou se influenciará diretamente na escolha da área de atuação, no entanto muitos acreditam que o investimento na área é um avanço sem precedentes.

Nova Iorque é uma das cidades que mais está investindo e treinando professores para atuarem em 40 colégios públicos. Até 2015 a cidade pretende ampliar a presença das disciplinas de computação no ensino médio. Já em Chicago a expectativa é que até 2019 o ensino de ciência da computação esteja na grade curricular de todos os colégios públicos da cidade.