Escolas brasileiras podem ganhar método de ensino que utiliza Angry Birds

Por Redação | 29.04.2014 às 10:38
photo_camera Divulgação

Foi-se a época em que videogames serviam apenas para diversão. Hoje, esse tipo de produto é utilizado dentro de empresas e até hospitais e são inúmeros os estudos que mostram os benefícios do seu uso. Uma das áreas em que mais cresce a utilização de jogos eletrônicos é na educação, na qual cada vez mais escolas fazem uso de títulos para estimular a linguagem e socialização dos alunos.

Agora, uma novidade interessante pode chegar em breve ao Brasil. Em entrevista à revista INFO, Peter Vesterbacka, diretor de marketing da Rovio, declarou que a companhia planeja trazer ao país um sistema de ensino baseado no famoso game dos pássaros nervosos. Segundo o executivo, o método é voltado para crianças de 3 a 6 anos e seria aplicado em escolas da rede pública e particular. O anúncio ocorreu durante o Transformar 2014, evento sobre inovação e educação organizado pela Fundação Lemann, Porvir e Instituto Península, que aconteceu nesta segunda-feira (28) em São Paulo.

O sistema de ensino da Rovio é conhecido como "Fun Learning" ("Aprendizagem Divertida", na tradução livre). Basicamente, a técnica consiste em misturar elementos do universo digital e físico, como games, livros, programas e instrumentos musicais - todos estampados com os personagens da marca Angry Birds. A sala de aula, um grande espaço sem carteiras convencionais, também entra na proposta e é decorada com imagens dos pássaros.

Vesterbacka afirma que o objetivo da empresa situada na Finlândia é investir ainda mais em educação e torná-la ainda mais divertida. "Educação é um dos pilares da nossa empresa e tratamos dela como um negócio. Isso é bom, porque significa que temos que dar bons resultados", disse. "Queremos mudar o mundo com a educação. Você acha que é um sonho impossível? Bem, as pessoas também não achavam possível chegar a 100 milhões de downloads. Hoje, passamos dos 2 bilhões", completou.

Peter Vesterbacka

Peter Vesterbacka, diretor de marketing da Rovio. (Foto: Yesky)

De fato, a marca Angry Birds não fez fama apenas na internet e nos dispositivos móveis, mas também no mundo real com produtos físicos. Graças a essa diversificação, a companhia alcançou faturamento de mais de 152 milhões de euros, sendo que, desse total, 47% correspondem à venda de itens como moletons, camisetas, bichos de pelúcia, refrigerante, ovos de páscoa e parques de diversão licenciados. Os parques passaram provisioriamente por alguns shoppings do Brasil no ano passado e traziam brinquedos e decoração inspirados no game.

Além disso, não podemos esquecer as parcerias entre os Angry Birds e outras franquias de sucesso, como o universo Star Wars. O título também ganhou temáticas especiais, como o Angry Birds Go!, jogo de corrida no estilo Mario Kart; Angry Birds Space, ambientado no espaço; e Angry Birds Epic, que se passa na era medieval.

O executivo da Rovio acredita que a "a área de ensino possa se tornar a maior parte da empresa num futuro próximo". Ele declarou que a companhia já está em negociações com governos e instituições para instalar o método Fun Learning no país. Ainda não há previsão de quando o sistema começará a ser implementado nos colégios nacionais.