Eric Schmidt, criador do Google, critica o iPhone 6

Por Redação | 26.09.2014 às 13:51

O coro dos críticos sobre a Apple e o iPhone 6 acaba de ganhar um reforço de peso. Em uma entrevista à Bloomberg, o diretor do Google, Eric Schmidt, criticou as “inovações” apresentadas pela Apple ao afirmar que a Samsung já possuía produtos semelhantes no mercado há mais de um ano. A declaração veio em resposta a uma pergunta sobre como ele vê a empolgação dos usuários em relação aos novos aparelhos.

Apesar de criticar a rival a partir de produtos da Samsung, uma das principais parceiras quando o assunto é a propagação do sistema operacional Android por aí, Schmidt acredita que esse tipo de competição é bastante saudável e a grande responsável por levar o mercado adiante. Para ele, a batalha “brutal” entre as empresas define o estado atual da indústria mobile e é justamente essa tentativa de inovar mais do que o concorrente que garante a chegada de mais e mais novidades todos os anos.

“Há uma grande corrida acontecendo entre Apple e Google”, disse o executivo. Segundo ele, essa é uma luta que não deve se encerrar tão cedo, principalmente quando se leva em conta a chegada de novos competidores ao mercado. Aqui, ele está falando especificamente da Amazon, que atua nesse mercado com seus tablets da linha Kindle e lançou recentemente seu primeiro celular.

Nesse ponto, porém, as coisas ficam um pouco mais enroscadas, já que, para o Google, a gigante varejista é ao mesmo tempo uma parceira e uma concorrente. Na mesma medida em que compra grandes cotas de anúncios da empresa, a Amazon também tenta concorrer com ela no mercado mobile, criando o que é ao mesmo tempo uma relação de sinergia e também de combate, mas claro, sempre saudável.

Por fim, Schmidt comentou sobre a chegada do Alibaba ao mercado ocidental, com uma das maiores aberturas de capital já realizadas na Bolsa de Nova York. A empresa atracou deste lado do mundo disposta não apenas a lançar seus serviços, mas também entrar de cabeça em diversos mercados, incluindo o mobile, com a compra de empresas e parcerias com outros grandes players.

E é justamente nesse segundo tema que o Google deseja participar, mostrando-se plenamente disposto a trabalhar ao lado da gigante chinesa em suas aventuras pelo mercado ocidental. Schmidt elogiou o presidente do grupo Alibaba, Jack Ma, afirmando que ele é “incrivelmente esperto” e saberá criar as relações necessárias para crescer. “Se pudermos, nós também estaremos ao lado dele”, disse.

Por fim, o executivo afirmou que, como nos últimos anos, empresas como Google, Facebook e Apple também permanecem de olho no mercado, com capital suficiente para comprar empresas e expandir seu portfólio de produtos e talentos. Schmidt não afirmou se a gigante das buscas encontra-se em alguma negociação no momento, dizendo apenas estar em uma boa posição para realizar negócios desse tipo caso exista a necessidade.