Entenda por quais motivos o Google vendeu a Motorola à Lenovo

Por Redação | 30 de Janeiro de 2014 às 14h36

Muita gente foi pega de surpresa ontem com o anúncio da venda da Motorola pelo Google à Lenovo. Mais assustador do que isso, só o valor da negociação: US$ 2,91 bilhões – muito inferior aos US$ 12,5 bilhões investidos pelo Google em 2012. O que pode parecer loucura para muitos, no fim das contas, pode ter acabado como um bom negócio para as partes envolvidas.

Para explicar tudo isso, o portal Android Authority listou os motivos que levaram o Google a abrir mão da Motorola e vendê-la a um valor tão baixo para a Lenovo.

Aproximação com a Samsung

Um rumor recente afirma que Google e Samsung chegaram a um acordo em que a sul coreana se compromete a não fazer mais tantas alterações no Android, e talvez até deixe a nova interface Magazine UX de lado. Além disso, a fabricante de telefones depreciaria alguns dos seus apps em favor dos serviços da empresa de tecnologia, o que as deixaria mais próximas do que nunca.

Até agora não havia nenhuma pista concreta sobre o que o Google teria prometido à Samsung, mas a venda da Motorola pode ser o primeiro sinal do que está por vir. Se anteriormente ambas as empresas estavam insatisfeitas uma com a outra, agora elas parecem estar de braços dados e o Google parece estar disposto a conceder à Samsung os próximos modelos da linha Nexus.

O Google conseguiu o que queria com a Motorola

Quando adquiriu a Motorola em 2012, o Google esperava competir com a Samsung e seus dispositivos. No entanto, por mais que o Moto X e o Moto G sejam aparelhos atraentes, demoraria algum tempo até que a companhia conseguisse bater de frente com a sul-coreana. Adicione a isso o fato de a Motorola só ter dado prejuízo nos últimos tempos e aí pode-se compreender o desafio que o Google teria pela frente se continuasse com o plano.

O novo acordo estabelecido com a Samsung fez com que essa batalha se tornasse desinteressante e desnecessária. O Google não teria nenhum motivo para permanecer com a Motorola, pelo menos não com o que foi vendido à Lenovo. É que a empresa ficará com aquilo que a fez comprar a Motorola há dois anos: suas patentes. Além disso, as equipes tecnologia avançada e inovações da marca permanecerão em Mountain View, agora sob o guarda-chuva da divisão Android.

Apesar disso, ainda é difícil imaginar o porquê do Google ter gasto tanto dinheiro com isso. Por ora, só nos resta esperar o tempo para responder a essa pergunta.

O que a Motorola deve esperar do futuro?

Ainda não é possível dizer ao certo o que o futuro reserva para a Motorola. Até o momento, a Lenovo só se comprometeu a não matar a marca e analisará se manterá as instalações da fabricante de telefones abertas no Texas. Pode ser que a marca continue por um bom tempo no mercado, já que pouca gente no Ocidente conhece os dispositivos móveis da Lenovo. Mas, em longo prazo, não se sabe se as duas continuarão como empresas independentes ou se fundiriam-se por completo.

Qual o significado do negócio para a Lenovo?

Para a Lenovo, as coisas são bem mais óbvias. A empresa tem um longo histórico de agressividade quando o objetivo é atingir a liderança de mercado. Ela fez isso com os PCs, notebooks, tablets e agora fará com os smartphones. No Brasil, a marca achou que seria muito mais fácil convencer os consumidores comprando uma marca já conhecida, a CCE. Agora, com os smartphones, ela está prestes a fazer o mesmo no mercado norte-americano, onde a marca é pouquíssimo conhecida. O mesmo deve ser feito na Europa, onde a Motorola tem uma certa relevância e os consumidores utilizarão seus aparelhos sem sequer saberem que se tratam de um Lenovo.

Para isso, a chinesa deve seguir com os planos traçados pelo Google para a Motorola. Se assim o fizer, após algum tempo a Motorola deve se tornar lucrativa e conquistar espaço no mercado para a Lenovo. Até lá, a fabricante de computadores terá que se preocupar, principalmente, sobre como fidelizar seus consumidores, que certamente estarão desconfiados sobre as verdadeiras intenções da empresa e a qualidade dos seus dispositivos.

É impossível determinar todos os motivos que levaram o Google a se livrar da Motorola, mas, no meio de tudo isso, existe uma única certeza que ninguém duvida: mudanças estão a caminho. Quais são elas? O que esperar? Deixe sua opinião nos comentários.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.