Em São Paulo, Red Hat anuncia sucessor do projeto JBoss Application Server

Por Rafael Romer | 19.04.2013 às 15:26 - atualizado em 19.04.2013 às 16:13
photo_camera Reprodução

A Red Hat, desenvolvedora de soluções open source, anunciou nesta sexta-feira (19), em São Paulo, o WildFly, sucessor do projeto JBoss Application Server. De acordo com Ray Ploski, diretor de desenvolvimento estratégico da tecnologia JBoss da Red Hat, que falou com exclusividade ao Canaltech, a mudança de nome representa tanto uma "refrescada" na marca como uma revisão do futuro da tecnologia.

O nome foi escolhido através de uma votação feita dentro da comunidade open source do JBoss, que teve início em outubro de 2012. Mais de 1,8 mil nomes foram sugeridos pela comunidade.

"A razão para termos feito isso foi a confusão enorme que existia, o termo JBoss estava sobrecarregado. Existia um servidor de aplicações chamado JBoss, existe a comunidade JBoss, o JBoss.org, que possui centenas de projetos, além da linha de produtos, onde tínhamos sete produtos empresariais, todos com o nome JBoss. Até dento da empresa ficava difícil de interpretar de qual se tratava”, explicou Ploski. "Nós estamos mudando os nomes de projetos diversos: de JBoss Cash para Infinispan, JBoss Portal agora se chama GateIn, esse é um processo que está em curso nos últimos 18 meses", explicou. A primeira versão alfa do WildFly será disponibilizada em maio de 2013, através das páginas Wildfly.org ou wildfly.as (Servidor de Aplicações).

WildFly

JBoss é a sigla para Servidor de Aplicações de Software Open Source JavaBeans, um servidor de código aberto criado em 1999 para o armazenamento de aplicações desenvolvidas em Java.

Além da mudança de nome, a Red Hat anunciou um novo programa de desenvolvimento JBoss gratuito, que permitirá ao desenvolvedor entrar e utilizar quaisquer entreprise bits da JBoss EAP e JBoss Fuse sem custos. “É uma maneira das pessoas conseguirem utilizar nossos produtos empresariais, já que eles ajudaram a construir a comunidade tanto quanto nossos projetos de upstream. Ideias melhores são construídas sobre ideias existentes”, explicou Ray. Segundo o diretor, se o experimento der certo, pode ser até expandido para o Red Hat Entrerprise Linux, o sistema operacional baseado em Linux disponibilizado pela Red Hat para o mercado.

Ray afirma que a decisão de realizar o lançamento no Brasil se deve à forte comunidade desenvolvedora em Java que existe no país. "O Brasil é muito importante para a Red Hat, há um tremendo crescimento no interesse por JBoss e a comunidade local está muito envolvida com a comunidade Java. A SouJava, por exemplo, um grupo muito grande de Java aqui no Brasil, é parte da comunidade de direção para Java EE”, disse. Para Ray, os desenvolvedores brasileiros estão no mesmo nível de desenvolvedores de regiões como Europa e Estados Unidos, principalmente em áreas mais recentes, como a mobile. "Muitas pistas técnicas para alguns de nossos projetos estão aqui hoje", conta. No evento, a Red Hat anunciou ainda uma nova parceria com a multinacional brasileira de consultoria, educação e soluções em TIC Multirede para a capacitação de mil profissionais em trainamentos especializados em soluções de código aberto

O anuncio foi realizado na JUDCon 2013: Brazil, a conferência oficial de usuários e desenvolvedores de tecnologias JBoss, que começou hoje e vai até este sábado (20), em São Paulo.O evento, que já aconteceu em países como Estados Unidos, China, Índia e Alemanha, tem sua primeira edição na América Latina, e reúne os principais líderes desenvolvedores e arquitetos de tecnologia de software aberto, como Mark Little, vice-presidente global de Middleware.

.