EAD: um oceano azul na educação

Por Luciano Sathler

O Brasil ultrapassou a marca de um milhão de alunos matriculados em cursos de graduação na modalidade a distância. É o resultado de um crescimento que chama a atenção, pois em menos de uma década houve um salto de 59.611 estudantes (2004) para 1.113.850, de acordo com o Censo de Educação Superior 2012 divulgado pelo MEC.

Gráfico Matriculados

A Educação a Distância (EAD) é a escolha de 15,8% dos mais de sete milhões de alunos em cursos de Graduação. Se comparada ao crescimento no número de matrículas entre 2011 e 2012, a EAD teve um aumento de 12,2%, enquanto os cursos presenciais avançaram apenas 3,1%.

Apesar de o país ter 2.416 instituições de ensino superior, sendo 304 públicas e 2.112 particulares, apenas 5 universidades e centros universitários concentram mais de 40% do total de matriculados em cursos de graduação a distância. Trata-se de um fenômeno que pode ser explicado quando se percebe a imensa janela de oportunidade que o setor de Educação apresenta atualmente.

Saímos da Sociedade Industrial e entramos na Sociedade da Informação. Isso significa diferentes demandas do mercado de trabalho, relações sociais marcadas pela complexidade e mudanças na forma como as pessoas aprendem. Algumas escolas e universidades ainda estão estruturadas para o modelo anterior, com fortes traços culturais medievais, ênfase no saber enciclopédico e tratamento indiferenciado dos estudantes.

Quem primeiro acreditou na EAD acabou por se deparar com um novo mercado ao desenvolver uma inovação de valor baseada na flexibilidade de tempo, flexibilidade de espaço e na personalização das relações de ensino-aprendizagem que a tecnologia passou recentemente a permitir. Houve o alinhamento de uma nova experiência proporcionada ao estudante, com preços mais competitivos e ganhos de custo. É a base da estratégia do oceano azul, conceito largamente difundido no meio empresarial.

A novidade maior é que as práticas atuais de EAD são apenas uma pequena parte do que é possível e necessário inovar para realmente trazer as instituições educacionais para esse novo tempo. Vários outros oceanos azuis vão se abrir para os que tiverem visão, coragem e determinação para inovar.

Luciano Sathler é colunista do Canaltech, PhD em Administração pela FEA/USP e Diretor da Associação Brasileira de Educação a Distância.