É a vez da Microsoft: novo wearable da empresa é anunciado

Por Redação | 30 de Outubro de 2014 às 13h06

Com a onda dos wearables, popularizada pelos recentes smartwatches, era de se esperar que a Microsoft, após as outras empresas – mais recentemente, a Apple –, marcasse de vez a sua chegada no segmento. Isso aconteceu ontem (29) através da divulgação do aplicativo que acompanharia o dispositivo móvel e faria a sincronização dos dados. Para completar a alegria dos consumidores, o app já apareceu direto na iTunes App Store, na Play Store e na loja de aplicativos do Windows Phone.

Dona de um design semelhante ao do Galaxy Gear Fit, a Microsoft Band, como foi chamada na loja de aplicativos da Apple, é uma pulseira com uma pequena tela. Nesse display, o usuário pode ver as horas e o calendário, além do principal: dados sobre as atividades físicas. Como o foco dos aplicativos que acompanham wearables é, além de outras coisas, a prática de exercícios e o monitoramento de atividades do corpo (a exemplos do HealthKit, da Apple, e do Fit, do Google), a Band permite que o usuário monitore a qualidade do sono, os batimentos cardíacos e a temperatura.

microsoft health

O gadget também possui GPS, sensor de raios ultravioleta e luz ambiente. O aplicativo, em integração com o dispositivo, também permite monitorar a distância que o usuário caminhou ou correu e dizer quantas calorias foram perdidas no exercício. Além disso, smartband promete autonomia de bateria com duração de até 48 horas.

O aplicativo da Microsoft voltado para a saúde, chamado de Microsoft Health, também aparece na Google Play Store e na Windows Phone Store americanas, com suporte à assistente virtual Cortana. Acredita-se que a pulseira será compatível com todos os sistemas operacionais móveis: Android (4.2 ou superior), iOS (7.1 ou superior, rodando também no iPhone 4S) e Windows Phone 8.1.

Apesar de não se tratar exatamente de um smartwatch e ter recursos e visual mais simples, a pulseira da Microsoft apresenta características de qualidade para o público consumidor. Além disso, sua compatibilidade com os diferentes sistemas operacionais coloca o dispositivo entre os primeiros da fila na escolha de um wearable.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.