Dispositivo detecta fumantes passivos e acusa concentração de nicotina no ar

Por Redação | 15.05.2013 às 10:00

Todos nós sabemos que fumar faz mal à saúde e que fumantes são mais propensos a doenças cardiovasculares e pulmonares que não-fumantes. O que talvez muita gente não saiba é que, infelizmente, muitos não-fumantes acabam inalando a fumaça tóxica dos cigarros e absorvendo tabaco e nicotina simplesmente por estarem próximos a quem fuma. Estes são os fumantes passivos, e merecem atenção quanto aos cuidados de saúde.

Muitas vezes, nós estamos na condição de fumantes passivos por convivermos de perto com quem tem o hábito do tabagismo. Mas, como saber se estamos mesmo inalando os resquícios tóxicos do cigarro? Qual distância devemos tomar da fumaça do tabaco para que não nos tornemos fumantes passivos?

A fim de responder a estas questões, pesquisadores da Universidade de Dartmouth, nos Estados Unidos, criaram um pequeno dispositivo que avisa, em tempo real, quando uma pessoa está exposta ao fumo passivo. O aparelho é menor que um telefone celular e revela a quantidade de nicotina nos ambientes, em roupas, em sofás e outros objetos, e ainda faz uma estimativa de quantos cigarros foram fumados em determinado ambiente. Tem mais: ele indica quando e em qual lugar ocorreu a exposição à nicotina. Saiu na Super Interessante.

O aparelho detecta e mensura moléculas de nicotina em um ambiente e registra as informações coletadas por meio de um sensor. Tudo isso em tempo real.

O pequeno dispositivo ainda não foi testado em ambientes externos, apenas em laboratório, mas seu custo será mais baixo que o dos sensores de nicotina utilizados atualmente. Além disso, será mais preciso, por informar detalhes sobre a exposição à substância.

Os pesquisadores esperam que, com a popularização do aparelho, seja possível cumprir leis que restringem o fumo em ambientes fechados e preservar a saúde de crianças, idosos e adultos não-fumantes.