Depois da China, Samsung também perde liderança no mercado indiano

Por Redação | 07 de Agosto de 2014 às 16h00

Após perder a liderança na venda de smartphones na China para a local Xiaomi, que conquistou 14% do mercado chinês no último trimestre frente a 12% de participação da Samsung, a empresa sul-coreana está enfrentando outros problemas na Ásia.

Um relatório da Counterpoint Research divulgado pela Business Week apontou para queda da participação da empresa na Índia, outro local onde a Samsung mantinha a dianteira. No país, a liderança da venda de smartphones ficou com a Micromax Informatics, empresa localizada na cidade de Gurgaon e que entrou no mercado apenas em 2008. A empresa local conquistou 16,6% do mercado de telefonia móvel no segundo trimestre, liderando pela primeira vez, enquanto a Samsung ficou com 14,4% da fatia.

No primeiro semestre do ano, a Samsung ainda liderava com 16,3% da quota do mercado. Mesmo com a queda, a Samsung ainda lidera o mercado indiano em termos de embarques, com uma quota de 25,3%, enquanto a Micromax faturou 19,1% do mercado. No primeiro trimestre do ano, no entanto, a participação da Samsung era de 33,3%, o dobro da Micromax com 16,7%.

Segundo o analista da Counterpoint, Neil Shah, a Micromax tem aproveitado seu maior alcance de distribuição na Índia, atingindo usuários não apenas na área urbana, mas na área rural devido a seus baixos preços. Outros fabricantes locais também têm se destacado na participação do mercado devido ao baixo custo dos aparelhos.

Entre as razões para os baixos preços está o uso de chipsets feitos pela Media Tek, que tendem a ser mais baratos que os da Qualcomm. A maioria das empresas também terceirizam a produção para fábricas na China e Taiwan, reduzindo ainda mais os custos. Juntos, os fabricantes locais de telefonia móvel da Índia conquistaram 32% do mercado doméstico no último trimestre e mais de dois terços dos embarques no país.

Não são apenas as fabricantes locais que têm sido um forte concorrente da Samsung na Índia. A Xiaomi também assombra a gigante coreana no país. Com o objetivo de expandir sua participação, a Xiaomi tem investido em mercados emergentes como Brasil, Indonésia e Rússia e no mês passado iniciou a venda do Xiaomi Mi3 da Índia. Os aparelhos são encontrados por um preço muito baixo – cerca de US$ 232 – e, segundo informações, mais de 100 mil pessoas se inscreveram para comprar smartphones Xiaomi na Índia, mesmo que a empresa não tenha revelado quantos aparelhos realmente vendeu.

Mesmo que não seja um mercado tão grande como o da China, a previsão é que a Índia dobre o número de embarques este ano, indo para 81 milhões, o que representa 7% do mercado mundial. A expectativa da IDC é que o mercado de smartphones na Índia cresça 37% no próximo ano, chegando a 110 milhões de aparelhos.

O mercado indiano também irá se beneficiar dos baixos preços dos smartphones. Este ano o preço médio dos aparelhos no país será de US$ 137, segundo a IDC – uma queda de 44% desde 2010, sendo mais barato que na China, onde o preço médio é de US$ 211. No Brasil, por exemplo, o preço médio dos smartphones é de US$ 297.

Fonte: http://mobile.businessweek.com/articles/2014-08-06/its-not-just-china-dot-samsung-is-falling-behind-in-india-too#r=rsshttp://in.reuters.com/article/2014/08/05/mobile-phone-india-micromax-samsung-idINKBN0G50C720140805

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.