De olho na Amazon, Google fecha parceria para entregar livros no mesmo dia

Por Redação | 07 de Agosto de 2014 às 18h11
Tudo sobre

Amazon

O Google e a famosa livraria norte-americana Barnes & Noble uniram forças para desbancar a Amazon atacando justamente o principal atrativo da varejista: a entrega rápida e barata de livros.

A parceria já entrou em ação nesta quinta-feira (07) e inicialmente está valendo somente para quem reside nas regiões de Manhattan, oeste de Los Angeles e da baía de São Francisco, todas nos Estados Unidos. A ideia é que os compradores façam suas compras via Google Shopping Express e possam optar pela entrega no mesmo dia. Para esse caso, os clientes receberão os exemplares dos livros diretamente de lojas locais da Barnes & Noble.

Embora a parceria aparentemente ainda seja tímida, alguns analistas a veem como uma primeira tentativa da famosa livraria norte-americana em expandir seus negócios para a Internet. Há algum tempo os negócios da marca estão estagnados e de cinco anos para cá já foram fechadas mais de 60 lojas, incluindo algumas ilustres em regiões nobres de Manhattan e Washington. Os negócios com o e-reader Nook também não andam bem e somente no último trimestre ele sofreu retração de aproximadamente 22% em relação ao ano anterior.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Em entrevista ao New York Times, Michael Huseby, presidente executivo da Barnes & Noble, classificou o acordo com o Google como um "teste". Segundo ele, a expectativa da companhia é que a parceria ajude a livraria a incrementar a receita vinda da venda de livros online e também aumentar a venda em lojas físicas. "É a nossa tentativa de interligar os negócios digitais com os reais", declarou o executivo.

Ao contrário da rede de livrarias, a varejista Amazon vem lucrando com a venda de livros físicos e digitais há anos. A ascensão praticamente constante do site é apontada pelos executivos da Barnes & Noble como um dos principais responsáveis pela quebra não apenas das livrarias da empresa, mas de todos os estabelecimentos do ramo.

Quanto ao Google, a gigante da Internet vê o negócio da varejista como um dos principais fatores que impedem que o Google Shopping decole. Por este motivo, Mountain View tem procurado cada vez mais parcerias que agreguem apelo ao negócio e o tornem relevante.

O timing para esta última parceria não poderia ter sido melhor. Recentemente a Amazon foi alvo de denúncias de editoras, que disseram que a varejista tem alegado falta de estoque e demora na reposição de alguns ítens para justificar altos preços cobrados por alguns deles. Porém, segundo as editoras, o discurso não condiz com a verdade e tudo não passa de uma retaliação da companhia às editoras que vinham reclamando das altas taxas de intermediação impostas pelo site.

De olho no problema, o Google entrou em cena para oferecer aos consumidores uma "melhor experiência". Com o acordo, os assinantes do Google Shopping Express que moram nas regiões atendidas receberão seus livros em casa no mesmo dia sem nenhum custo adicional. Já quem não assina o serviço, deverá desembolsar US$ 4,99 por pedido, não importando quantos livros sejam, para recebê-lo no mesmo dia.

Em um comunicado, a gigante da Internet confirmou que logo o serviço será expandido para o Brooklyn e o Queens, em Nova Iorque. Informações sobre a chegada de algo do tipo em outras regiões do globo, no entanto, não foram dadas.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.