Datalogic faz investimentos de US$ 2 milhões em nova fábrica no Brasil

Por Rafael Romer | 24.07.2014 às 12:35
photo_camera Divulgação

A empresa do setor de captura avançada de dados e automação industrial Datalogic inaugurou oficialmente nesta quarta-feira (23), em Jundiaí, São Paulo, sua primeira fábrica de leitores de código de barras do país, que suprirá a demanda local por dispositivos.

A planta, que já está em operação desde maio, é resultado de um investimento de US$ 2 milhões e deverá produzir dois modelos de leitores de códigos de barras de mão, um leitor fixo e um computador móvel. Até 2015, outros três produtos deverão começar a ser fabricados por aqui.

Em sua formatação atual, o espaço de 2,2 mil m² tem capacidade para produção anual de 20 mil scanners móveis, 10 mil scanners fixos e até mil computadores móveis. No entanto, há expectativa de expandir a operação nos próximos meses, possivelmente duplicando a atual equipe de 20 funcionários. Com a unidade fabril aqui, a empresa espera uma média de crescimento de 30% ao ano no mercado brasileiro.

"Nós sabemos que o PIB não está crescendo tão rápido, mas é um mercado muito grande para nós. É uma grande oportunidade", afirmou Bill Parnell, CEO da divisão de Captura Avançada de Dados (ADC) da Datalogic.

A escolha de sediar a planta em Jundiaí se deu pela proximidade com as cidades de São Paulo e Campinas, ambos centros urbanos servidos por aeroportos e com muitos clientes da vertical de varejo - a mais importante para a empresa no Brasil, na qual a Datalogic possuiu soluções em 19 das 20 maiores redes varejistas do país. O plano também contou com apoio da iniciativa Investe São Paulo, do Governo do Estado, que assessorou a empresa na busca de uma área para instalação do sítio.

Datalogic

Os executivos Bill Parnell, CEO da divisão de ADC, Valentina Volta, CEO da Divisão de Desenvolvimento de Negócios e de Automação Industrial, e Fabio Lopez, Country Manager do Brasil, durante apresentação da nova planta (Foto: Dilvugação)

A empresa chegou a considerar a implementação da fábrica na Zona Franca de Manaus, mas descartou a ideia por questões de logística. "Manaus é longe [da região de São Paulo] e a maior parte do mercado está por aqui, então temos resposta rápida para clientes, é importante para o suporte técnico e capacitação de serviços. Foram muitas razões para estar em São Paulo", explicou o executivo.

De acordo com a empresa, a montagem de equipamentos no Brasil também encaixa o centro no chamado Processo Produtivo Básico (PPB), o que garante algumas isenções de impostos e deve baratear a produto final. "Nós estamos finalizando um estudo de preço local, então não posso precisar de quanto será a redução. Mas logicamente um dos motivos principais de abrir a fábrica é redução de preço", disse Fabio Lopez, Country Manager do Brasil, ao Canaltech.

Por ora, a fábrica deve focar no fornecimento de soluções exclusivamente para o mercado brasileiro, mas a empresa não descarta a possibilidade de transformá-la em um centro de distribuição para a Argentina, Chile e Uruguai. Até agora, todos esses mercados, inclusive o Brasil, recebem os produtos da Datalogic através da importação dos Estados Unidos.

Ao lado da China, a América Latina foi a região que mostrou "crescimento significante" para a empresa nos últimos resultados financeiros do segundo semestre do ano fiscal de 2014, divulgados na semana passada. Apesar de não abrir números regionais, o setor de Automação Industrial mostrou um crescimento de 5,2% em relação ao trimestre anterior, com 32,1 milhões de euros (95 milhões de reais) de receita. Já a divisão de ADC registrou um crescimento de 6,8% em relação ao mesmo período, atingindo a marca de 76,8 milhões de euros (227 milhões de reais).

Com a planta, o Brasil se junta aos Estados Unidos, Vietnam e Eslováquia no grupo de países com unidades fabris da empresa, que tem sede em Calderara di Reno, na Italia.