O que você diz nas redes sociais pode diminuir as chances de emprego em até 90%

Por Redação | 19.12.2012 às 06:05
photo_camera Gawker

É sempre importante lembrar que um perfil aberto em uma rede social não quer dizer que aquele espaço deva ser diário pessoal, é muito importante pensar bem nas coisas que escreve e também nas consequências que aquilo pode ter. Profissionais de recursos humanos responsáveis pela contratação de funcionários dizem que posts de fotos de bebedeiras, nudez ou conteúdo ofensivo influenciam diretamente na hora de decidir quem fica com a vaga de emprego.

Segundo uma pesquisa realizada pela AVG Technologies, as chances de um candidato ser contratado pode diminuir em até 90% caso os recrutadores se deparem com esse tipo de conteúdo em suas páginas das redes sociais. Para chegar a esse resultado, a fabricante de softwares de segurança consultou 230 profissionais de recursos humanos dos Estados Unidos e Reino Unido e mais de quatro mil jovens de 18 a 25 anos em 11 países.

Enquanto a maior parte dos possíveis candidatos a uma vaga de emprego que foram entrevistados pela AVG disse que não se preocupa muito com aquilo que posta nas mídias sociais, cerca de 50% dos profissionais de recursos humanos disseram levar em consideração esse item na hora da contratação. Além disso, mais de 40% deles acreditam que os jovens adultos não estão cientes da responsabilidade com a qual devem lidar com seus perfis nas redes sociais.

"As mídias sociais são bancos de dados riquíssimos: mais de 90% dos usuários de internet no Brasil utilizam essas ferramentas, porém poucos fazem uso das configurações de privacidade. Assim, qualquer pessoa pode ter acesso aos conteúdos postados. Para não perder oportunidades de trabalho, é importante fazer essa configuração e, acima de tudo, postar com prudência, evitando conteúdos que possam denegrir sua imagem", disse Mariano Sumrell, diretor de marketing da AVG Brasil e colunista do Canaltech.

Entre os motivos que levam um recrutador a sequer entrevistar um candidato está a postagem de fotos com nudez (90%). Evidências de comportamento ofensivo também têm um peso enorme (91%), enquanto comentários negativos ou depreciativos sobre empregadores anteriores chegam a quase 95%. Por fim, opiniões extremistas sobre diversos assuntos também chamam a atenção, de maneira negativa, em 93% dos casos.

Para ficar ainda mais atento, confira quais são as plataformas mais utilizadas pelos recrutadores para avaliar os perfis dos candidatos nos Estados Unidos:

  • Google (85%)
  • Facebook (81%)
  • Linkedin (71%)
  • Twitter (39%)
  • Instagram (18%)
  • Ficker (15%)

Ou seja, não adianta apenas cuidar da sua imagem no Linkedin e esquecer daquilo que compartilha no Facebook, isso pode não adiantar nada na hora de arrumar um bom emprego.