Crise na HP pode demitir mais 16 mil funcionários

Por Redação | 23.05.2014 às 13:00

A californiana Hewlett-Packard, ou simplesmente HP, é uma das gigantes de Palo Alto e principal fabricante de impressoras do mundo. Mas desde 2012 a companhia tem enfrentado uma crise que já demitiu 34 mil funcionários. Agora, esse número poderá ser acrescido com mais 16 mil novas demissões.

De acordo com o site Re/Code, resultados fiscais preliminares para o segundo trimestre deste ano divulgados nesta quinta-feira (22) mostram que as vendas continuam abaixo do esperado pela companhia.

As vendas da empresa somaram US$ 27,3 bilhões no segundo trimestre fiscal, levemente abaixo dos US$ 27,41 bilhões previstos por Wall Street. Esta foi a décima primeira queda consecutiva da empresa.

Com queda de 1% na receita para o trimestre, a companhia prevê um lucro anual de US$ 3,63 por ação, também abaixo dos US$ 3, 71 esperados pelos analistas de Wall Street.

Em comunicado, Meg Whitman, CEO do grupo, disse que o esforço de recuperação que ela realizou quando assumiu o papel em 2011 "continua no bom caminho".

Em meio a uma crise no mercado de PCs, que a empresa já foi líder, a HP vem tentando diminuir a sua dependência do produto e concentrar seus esforços em equipamentos computacionais e de rede para empresas. Resta saber se isso será suficiente para que ela saia da difícil situação na qual se encontra atualmente.