Cotação da Bitcoin despenca após problemas com moeda chinesa

Por Redação | 18 de Dezembro de 2013 às 16h36

A cotação das Bitcoins voltou a despencar nesta semana após o anúncio que a BTC China, uma das maiores casas de câmbio do país, não trabalharia mais com os yuans locais. A notícia causou uma grande desvalorização e as moedas virtuais chegaram a valer menos de R$ 1 mil na manhã desta quarta (18). No momento em que esse texto é escrito, cada unidade vale R$ 1.525.

A flutuação rápida e vertiginosa da cotação é uma das características consideradas negativas das Bitcoins. O valor pelo qual ela é negociada hoje, por exemplo, é cerca de 50% inferior ao de duas semanas atrás, quando ultrapassava a marca dos R$ 3 mil. Recentemente, a moeda passou por uma das maiores valorizações de sua história.

O motivador de tudo isso é o banco central chinês, que no início de dezembro, declarou que as Bitcoins não possuíam valor legal, proibindo todas as instituições financeiras do país de a negociarem. Nesta semana, o banimento passou a atingir também as operadoras de pagamento, incluindo a YeePay, que presta serviços para o BTC China.

De acordo com o que relata o The Guardian, a medida seria uma maneira velada de proibir o uso das Bitcoins no país. Por mais que os chineses possam utilizar a moeda sem restrição alguma, a inexistência de instituições que realizem o câmbio acaba desestimulando sua adoção e tornando o tráfego do dinheiro quase impossível.

Segundo estimativas feitas pelo site Marginal Revolution, a forte entrada de chineses no mundo das Bitcoins seria um dos principais responsáveis por sua popularização e valorização. Agora, a tendência é que essas mesmas pessoas sejam responsáveis por um duro golpe na moeda, já que a China está, para todos os efeitos, impedida de usar o dinheiro virtual de maneira efetiva.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.