Pesquisa: consumidores compartilhariam dados pessoais em troca de benefícios

Por Redação | 25.06.2013 às 12:10

Resultados de uma pesquisa recente apontaram que os consumidores brasileiros estão enxergando valor no compartilhamento de informações pessoais. Isso quer dizer que eles estão dispostos a compartilhar muitos de seus dados, desde que recebam em troca melhores serviços e/ou recompensas.

Os resultados revelaram as principais estratégias que as operadoras podem adotar para obter permissão de uso dos dados de seus clientes, que podem ser usados para conhecê-los melhor e desenvolver novas fontes de renda. A pesquisa foi realizada globalmente em abril pela Coleman Parkes com 3.900 consumidores, e divulgada pela empresa de serviços voltados à experiência do consumidor Amdocs.

"Os resultados desta pesquisa indicam que o setor vinha superestimando a falta de disposição dos consumidores em compartilhar seus dados pessoais", disse Ian Parkes, da Coleman Parkes, por meio de comunicado. "Muitos consumidores estão dispostos e desejam fornecer as informações desde que recebam algo em troca de suas operadoras. Com a possibilidade adicional de compartilhar essas informações com outras empresas, os dados dos clientes podem se tornar um novo tipo de moeda no setor".

Dados como localização, nomes dos cinco principais amigos no Facebook e dados pessoais de familiares foram os principais (57%) apontados pelos consumidores como possíveis “moedas de troca" por recompensas financeiras ou melhores serviços. Além disso, 54% dos entrevistados permitiriam que esses dados fossem passados a terceiros mediante condições certas.

Entre os principais incentivos que motivam consumidores a fornecer dados pessoais estão planos mais baratos (65%), maior velocidade da rede (61%), atendimento prioritário (54%) e planos compartilhados por vários dispositivos (50%). Recompensas em dinheiro (44%) foram as mais valorizadas, juntamente com recompensas em programas de fidelidade (38%), cupons e ofertas exclusivas (39%). Um terço (36%) dos clientes aceitaria divulgar suas informações de graça.

Algo que chama a atenção no resultado da pesquisa, é o fato de os consumidores brasileiros não se mostrarem muito preocupados com sua privacidade. Isso porque mais de três quartos (77%) dos usuários de serviços como YouTube, Facebook e Instagram entrevistados disseram não se importar com esse tipo de questão, enquanto 64% disseram confiar em suas operadoras para cuidar de seus dados.