Análise: as principais tecnologias em ascensão no mercado de TI

Por Luciana Zaramela | 25 de Janeiro de 2013 às 17h05

A NetApp fez um levantamento de algumas tendências de TI que ganharão mais força neste ano e devem se manter em crescimento até 2017. Em 2013, esses segmentos vão conduzir o pensamento das áreas de tecnologia de empresas que tenham uma visão revolucionária, somadas às práticas tradicionais.

Jay Kidd, diretor de tecnologia e vice-presidente sênior da NetApp lista as 11 mais relevantes previsões para o setor e Marcos Café, gerente geral da NetApp no Brasil, avalia essas tendências globais para a realidade brasileira.

Flash-Array

Esta tecnologia será amplamente utilizada para acelerar aplicações e atingirá desde servidores virtualizados e desktops, até ambientes OLTP (processamento de transações online) e serviços de arquivos. As empresas continuarão a integrar o uso de flash em todas as áreas da arquitetura de armazenamento.

Os grandes fornecedores de armazenamento estarão em alta, anunciando os frutos de aquisições ou os resultados de iniciativas de desenvolvimento próprio. Além disso, à medida que o foco em Nand flash (memória usada por MP3 players, câmeras digitais e USB) atinge o seu auge, outras tecnologias de armazenamento de estado sólido também estarão em foco.

No Brasil: para Marcos Café, gerente geral da NetApp no Brasil, essa tendência também será forte em 2013 no país. Clientes que demandam por desempenho e necessitam de um tempo de resposta mais rápido, especialmente em trasações online onde milesegundos fazem a diferença, como no mercado financeiro, terão um grande interesse em Flash-Array.

Migração para a Computação em Nuvem

A nova realidade de restrições nos orçamentos de TI vai aumentar o uso de serviços em Cloud Computing, sendo que mais de 30% das organizações irão migrar ao menos uma de suas aplicações corporativas para esta modalidade. As empresas não precisarão mais escolher entre segurança, confiabilidade e disponibilidade de uma implementação e a escalabilidade e a flexibilidade econômica dos serviços na nuvem.

No Brasil: Marcos Café acredita que, no Brasil, há bastante espaço ainda para o crescimento da computação em nuvem, porém a demanda não chegará a ser tão grande quanto globalmente. No entanto, já existe muito interesse das empresas.

Haverá um duplo padrão em softwares de virtualização

Em 2013, os clientes terão mais opções para seus ambientes virtualizados. Os hypervisors, softwares que permitem às empresas fazer a virtualização, serão mais procurados pelas companhias. Na maioria dos casos, elas poderão operar com mais de um fornecedor. Em 2013, surgirão várias alternativas de código aberto, incluindo CloudStack e OpenStack na orquestração de grandes ambientes de nuvem.

No Brasil: Marcos Café avalia que, no Brasil, os clientes vão seguir a tendência mundial e devem começar a procurar outras opções de empresas que possam oferecer essa tecnologia.

In-Memory Computing vai criar uma nova classe de aplicativos

Poucas tecnologias estão prontas para trazer um impacto tão dramático sobre o cenário de TI como a In-Memory Computing, que é uma forma de acessar os dados quando esses residem na memória RAM do computador, em vez de acessar os dados discos físicos. A tecnologia SAP® HANA, que foi uma das pioneiras em In-Memory Computing, irá gerar grande interesse, sendo um exemplo de uma nova classe de plataformas OLTP e analítica combinadas.

No Brasil: o gerente geral da NetApp no Brasil acredita que essa solução ainda está em estágio inicial, porém é uma boa alternativa para empresas que necessitam de uma velocidade muito maior do tempo de resposta para acessar e correlacionar informações em banco de dados, como por exemplo, aplicações contra fraudes de cartões de crédito.

Armazenamento em cluster irá conduzir a eficiência nas operações de storage

O tempo de inatividade não planejada nunca foi tolerado, e esta realidade é cada vez menos aceitável no mercado de TI. Mais empresas devem abraçar o conceito de infraestrutura de dados consolidada, eficiente e disponível. Como resultado, cada vez mais profissionais de TI não precisarão perder seus finais de semana fazendo atividades planejadas, como migrações de dados.

No Brasil: Marcos Café ressalta que as vantagens do armazenamento em cluster são muitas, com destaque para as operações que precisam ser realizadas sem interrupção do trabalho. O cenário global será o mesmo previsto para o Brasil neste segmento.

Infraestruturas convergentes irão substituir os modelos inflexíveis de um fornecedor

Em 2013, as empresas irão se voltar à flexibilidade de modelos de infraestrutura convergente para permitir uma rápida inovação. Aqueles ambientes inflexíveis de diversos fornecedores continuarão a perder mercado para as soluções convergentes de infraestrutura com componentes pré-validados de implementação claras e concisas.

No Brasil: a realidade do mercado brasileiro ainda é um pouco diferente da internacional, por isso esta tendência deve demorar um pouco mais para ser vista por aqui, na visão de Marcos Café.

Alternativas para drop boxes públicos

O Dropbox é um serviço para armazenamento de arquivos baseado no conceito de computação em nuvem. Em 2013, alternativas de dropbox privados irão surgir para oferecer o acesso consolidado aos dados corporativos, o que permitirá a adoção desses serviços por novas empresas. O novo Mega, de Kim Dotcom, promete 50 GB de armazenamento.

No Brasil: para Café, essa tendência mundial deve se firmar no país. Com esse tipo de solução em um formato mais privado em vez de público, as empresas ganham segurança e controle dos dados demandados ao mesmo tempo, atendendo às necessidades de acesso móvel e colaboração dos usuários.

Armazenamento de objeto estará presente nas empresas

Em 2013, veremos o crescimento em grande escala do armazenamento de objetos. A evolução massiva da internet com seus dispositivos inteligentes e móveis levarão ao crescimento do armazenamento de objetos na nuvem.

No Brasil: o mercado brasileiro está começando a entender a necessidade do armazenamento de objetos e esse segmento deve crescer muito mais no Brasil, segundo Marcos Café. Entre as áreas que já descobriram o valor do uso desta tecnologia está o setor público, com iniciativas como o monitoramento por câmeras de cidades, a gestão de conteúdo de museus e bibliotecas, além de projetos de digitalização de processos judiciários.

A briga na oferta de PaaS levará à cooperação entre fornecedores

A guerra fria entre fornecedores de plataformas PaaS (OpenStack, CloudStack, Eucalyptu, etc.) vai aumentar. Nenhum vencedor surgirá em 2013, porém, no segundo semestre, devemos ter uma compatibilidade mais aberta entre as soluções de PaaS, mais visivelmente entre Amazon Web Services, OpenStack, CloudStack, entre outros.

No Brasil: a oferta de PaaS ainda não é uma realidade forte no Brasil e não deve ter grande crescimento neste ano.

A infraestrutura de softwares definidos vai se tornar tangível

Servidores virtualizados, armazenamento em cluster e redes de softwares definidos irão convergir para um modelo de agilidade em escala no data center. Este ano será um período para educação neste quesito, com clientes compreendendo os benefícios dessa tecnologia.

No Brasil: por aqui, esse conceito também é uma realidade.

Três companhias de armazenamento irão falir e trinta serão criadas

Dado o ritmo acelerado da inovação nos sistemas de armazenamento, uma média de três companhias deste setor irão falir em 2013. Em seus lugares, trinta novas empresas serão criadas no ano. O ritmo da mudança tecnológica vai continuar a ser tão rápido que ser o primeiro neste mercado pode ser um risco para as empresas que apostam cedo demais nas tendências erradas.

No Brasil: não há start-ups atuantes nesta área no país. Para Marcos Café, o Brasil sempre está no radar das empresas de tecnologia, uma vez que o país possui demandas sofisticadas e o mercado possuem grande representatividade.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.