Como a reorganização da Microsoft pode afetar os produtos da empresa?

Por Redação | 12 de Julho de 2013 às 15h16

Na última quinta-feira (11), Steve Ballmer anunciou a decisão mais importante de sua carreira: uma super reorganização na Microsoft. Em meio a uma série de mudanças de cargos, o CEO prometeu transformar a Microsoft em uma empresa de "dispositivos e serviços".

Porém, agora a Microsoft é uma empresa de software, serviços na nuvem e jogos, logo, o anúncio da tal mudança vai abalar os alicerces de todos os produtos da companhia. Basicamente, para fazer a transição, Ballmer criou duas principais divisões, conforme ressalta o InfoWorld:

  • Engenharia corporativa e para a nuvem: liderada por Satya Nadella, atualmente considerado por muitos como o mais provável sucessor de Ballmer. Esta divisão vai cuidar das tecnologias back-end, como data center, banco de dados e as novas tecnologias específicas para setores de TI e ferramentas de desenvolvimento empresarial. Além disso, também será responsável pelo desenvolvimetno, construção e operação de data centers.
  • Engenharia de dispositivos e estúdio: liderada por Julie Larson-Green, conhecida por chefiar a divisão do Windows. Esta divisão será responsável por todo o desenvolvimento de hardware e cadeia de suprimentos, desde os dispositivos menores aos maiores. As experiências de estúdio, incluindo jogos, música, vídeo e outras formas de entretenimento também serão responsabilidade dessa divisão.

O problema é que a única experiência de Larson-Green com hardware envolve o tablet Surface – que, por sinal, foi condenado por boa parte da crítica. Para os observadores de longa data da Microsoft, ela é mais conhecida como a força motriz do Office 2007 e da interface Metro do Windows 8 – que também foi condenada por muitos.

Além do mais, a descrição de empresa divida apenas entre dispositivos e serviços deixa um buraco na liderança de produtos importantes e rentáveis que não se encaixam nessa nova divisão, como o próprio Windows. De acordo com o anúncio de Ballmer, Terry Myerson será responsável pela equipe de sistemas operacionais – que deve abranger consoles, celulares e PCs. Ou seja, Windows Mobile, Windows e Xbox OS ficarão sob o mesmo comando. Já o Office será responsabilidade de Qi Lu, assim como os serviços de pesquisa, comunicação e "outras categorias de informação".

Pode ser que isso não signifique uma redução na importância dedicada a esses produtos, mas fato é que a reorganização liderada por Ballmer vai trazer algumas mudanças para o usuário final. Só resta esperar para saber exatamente quais serão.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.