Com piscinas e "cidade industrial", Foxconn tenta se livrar da péssima fama

Por Redação | 06 de Abril de 2015 às 13h55

Não é de hoje que ouvimos sobre a péssima fama da Foxconn por conta das condições de trabalho em suas fábricas. Mais do que ser a principal montadora dos produtos da Apple, a empresa sempre foi conhecida pelas longas jornadas, baixos salários e até mesmo alguns pedidos de socorro de seus funcionários. No entanto, parece que companhia chinesa quer se livrar dessa terrível imagem o quanto antes.

Para isso, ela abriu as portas de uma de suas fábricas em Shenzhen, na China, para um tour para que alguns veículos internacionais acompanhassem o processo de montagem de iPads e Macs, além de mostrar como são as reais condições dos empregados.

O site Re/code foi um dos que aceitaram o desafio e descreve cada momento do passeio pelo local. Segundo a página, o que mais impressiona é o quanto o ambiente como um todo se parece com o campus de uma universidade ao oferecer várias oportunidades de estudo e atividades diferentes para além do expediente.

E essa semelhança é bastante lógica, na verdade. Como a maioria dos funcionários é composta por jovens entre 18 e 25 anos, entrar para a Foxconn é tanto uma oportunidade de primeiro emprego como a chance de atuar dentro da sua área de estudos. Assim, eles praticamente moram dentro das áreas da companhia, tendo inclusive dormitórios próprios, piscinas e até mesmo uma linha que fica 24 horas ativa para aconselhá-los no que for preciso.

Foxconn

É claro que eles não são obrigados a morar ali, mas quem vai negar tantas facilidades oferecidas? Além dos quartos, há toda uma área repleta de lojas, restaurantes e bancos que praticamente faz com que os empregados não tenham com o que se incomodar fora dali.

O curioso é que há até mesmo a chamada Foxconn University, que serve quase como um centro de capacitação para futuros funcionários. Segundo o porta-voz da montadora, Louis Woo, a prioridade da companhia é oferecer melhores condições de trabalho e salários para seus empregados, deixando a mudança de percepção na imagem em segundo plano.

Por outro lado, apesar dos esforços para acabar com a péssima fama, ainda é possível encontrar alguns sinais de problemas. Conforme relatado pelo Re/code, há várias redes espalhadas pelo "campus" para impedir que os funcionários tentem se jogar do alto dos prédios — o que serve como uma assustadora lembrança dos vários episódios de suicídios envolvendo a empresa.

Foxconn

Além disso, mesmo com as promessas da Foxconn, o tour não contou com acesso irrestrito à fabrica, impedindo que o jornalista visitasse a área onde os trabalhos são realmente executados.

De qualquer forma, depois de tantas acusações e polêmicas, é interessante saber que a companhia está empenhada em mudar essa imagem. Por mais que ainda existam sombras dentro desse "reino encantado" que eles querem criar, já é algo bem distante daquela condição análoga à escravidão que tínhamos há pouco tempo.

Via: Re/code

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.