Cientistas pretendem usar nanopartículas para evitar ataques cardíacos

Por Redação | 05 de Março de 2015 às 13h25

As nanopartículas se mostram eficientes mais uma vez de acordo com a descoberta dos cientistas do Columbia University Medical Hospital e do Brigham and Women's Hospital. Com base no fato de que a doença do coração é a principal causa de morte nos Estados Unidos, eles criaram um estudo que mostra que a injeção das substâncias na corrente sanguínea pode prevenir ataques cardíacos. As informações são do Slash Gear.

Uma grande parte destas mortes se deve à aterosclerose, quando acontece o endurecimento das artérias. A injeção, então, terá a função de curar essa doença. As nanopartículas são bem pequenas, sendo 1000x menores do que a espessura de um cabelo humano, e vão trabalhar no corpo fazendo a prevenção de ataques cardíacos e derrames cerebrais liberando peptídeos que vão em direção às placas que são construídas no interior da parede arterial. Os infartos, embolias ou AVCs acontecem quando essas placas são rompidas.

Nanopartículas

As nanopartículas vão agir estabilizando as placas, além de curar as inflamações relacionadas ao local danificado da artéria, reduzindo a possibilidade da construção de placas adicionais no mesmo local.

A inflamação pode acontecer de maneira natural, acompanhando o envelhecimento do corpo humano, fazendo com que aumente o risco de diversas doenças cardíacas. O tratamento do problema costuma ser com anti-inflamatórios, que não são recomendados para tratamentos em longo prazo. Com as nanopartículas, isso acontece em apenas cinco semanas.

Por enquanto, os testes foram feitos apenas em ratos.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.