Cidade de São Paulo terá inauguração de novo parque tecnológico em setembro

Por Rafael Romer | 04 de Julho de 2014 às 10h50

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, assinou na noite desta quarta-feira (03), em uma cerimônia oficial, uma carta de intenções que organizou a gestão do novo Parque Tecnológico do Jaguaré, zona oeste da capital.

Com um espaço de 46 mil m², o pólo deverá ser inaugurado oficialmente em setembro. O objetivo da iniciativa é juntar o setor público com empresas privadas de pequeno, médio e grande portes para estimular o surgimento, desenvolvimento e competitividade de organizações com atividades voltadas para a inovação.

O documento assinado coloca a iniciativa sob co-gestão da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Governo do Estado de São Paulo e do Centro de Inovação, Empreededorismo e Tecnologia (Cietec).

Atualmente localizado dentro da Universidade de São Paulo (USP), o Cietec deverá migrar sua estrutura para dentro do pólo e terá o papel de gerir todo o ambiente e a aceleradora que será implantada futuramente no parque.

"Nós vamos construir o plano de negócio, vamos fazer um planejamento de como utilizar da melhor maneira aquele espaço para a instalação de uma aceleradora de empresas", afirmou Sergio Risola, Diretor-Executivo do Cietec, em entrevista ao Canaltech.

De acordo com o executivo, a expectativa é que o espaço funcione como um ambiente de pós-incubação para empresas que proponham o desenvovimento de novas tecnologias que possam ser de importância estratégica e contribuam para a matriz econômica do Estado de Sâo Paulo. No local, serão trabalhados setores da Tecnologia da Informação e Comunicação (TICs), Saúde, Nanotecnologia, Novos Fármacos, acessibilidade, usabilidade e comunicabilidade para pessoas com deficiências.

Dentro do pólo, essas organizações terão acesso a investidores interessados em ajudar na escalabilidade desses negócios. Durante o período de aceleração, essas empresas também poderão migrar sua estrutura física para dentro do centro, onde receberão um subsídio para o aluguel do espaço. Ainda não foi confirmado quanto tempo cada empresa poderá ficar no pólo, mas Risola estima que o período seja de até dois anos.

Segundo Risola, algumas grandes empresas nacionais já mostraram interesse em implementar inciativas de Pesquisa e Desenvolvimento dentro do pólo, mas ainda não há confirmação se esse tipo de iniciativa será aceita no espaço.

O parque tecnológico foi anunciado pela primeira vez em 2010. Em janeiro do ano passado, o governador aprovou a reforma do espaço que receberá o núcleo. A iniciativa faz parte do programa do Sistema Paulista de Parques Tecnológicos do governo do estado, que implementou até agora 28 iniciativas de parques tecnológicos em diferentes regiões de São Paulo.

No total, o governo investirá R$ 15,7 milhões no núcleo de Jaguaré. Atualmente, 32% do ICMS (Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços) paulista é utilizado para investimentos em iniciativas de ciência, tecnologia e inovação.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.