Ciclista que perdeu braço em acidente em São Paulo receberá prótese biônica

Por Redação | 11 de Junho de 2013 às 15h21
photo_camera Gizmodo

Uma empresa brasileira se solidarizou com a história de David Santos, que teve seu braço amputado depois de ser atropelado por um carro na Avenida Paulista, em São Paulo, quando ia para o trabalho de bicicleta, e decidiu doar a ele uma prótese biônica. Com a prótese, o jovem poderá voltar a fazer algumas atividades que costumava praticar antes do acidente. As informações são do site Gizmodo.

Conforpés, localizada em Sorocaba, no interior paulista, é a responsável pela montagem da prótese que David Santos irá usar. A prótese biônica, por sua vez, é composta por três partes independentes: mão, pulso e cotovelo, com a primeira sendo produzida na Inglaterra e as outras duas na China. E as baterias que controlarão os movimentos da prótese são originárias dos Estados Unidos.

"O custo total, incluindo a fisioterapia e a adaptação, fica entre R$ 300 mil e R$ 320 mil", afirmou Anderson Nolé, diretor técnico da Conforpés. O braço terá revestimento de silicone e, com base nos pedidos de David, o braço e antebraço da prótese serão cobertos por tatuagens. Um molde é tirado a partir da mão esquerda e detalhes como tonalidade da pele, formato das unhas, coloração das veias e presença de pêlos também são coletados.

Com contrações do bíceps e do tríceps, a prótese inteira pode ser comandada pelo paciente e estes comandos são facilmente detectados por eletrodos instalados sobre a pele. Os eletrodos ficam posicionados no cartucho, parte moldada da prótese para se encaixar no coto (parte do braço que restou do processo de amputação), e o braço biônico deve ser retirado para tomar banho e dormir.

Diferentemente dos modelos de próteses antigos, esta nova prótese permite a aplicação de uma série de configurações de movimentos da mão, do pulso e dos dedos por meio de pinças. Ao todo, a prótese é equipada com 14 pinças que podem ser alternadas para modificar os movimentos. Por exemplo: a pinça principal é a responsável por movimentar o indicador e o dedo médio, enquanto a pinça de soco movimenta todos os dedos da mão.

David Santos precisará passar por longas sessões de fisioterapia para aprender a usar o bíceps e o tríceps para comandar os movimentos da prótese, algo que não estamos acostumados fazer. Além disso, ele deverá passar alguns dias na Conforpés na aprender mais sobre seu novo membro biônico.

Atualmente, o jovem passa por treinamento na Universidade de São Paulo (USP) para aprender a usar mais seu braço esquerdo e para trabalhar a musculatura do coto do braço direito. "David tem uma cabeça excelente e é um menino esforçado e muito comprometido com o próprio tratamento", ressalta Nolé, afirmando que a cabeça é o ponto central para a adaptação completa à prótese biônica.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!