Chips Broadwell da Intel chegam no final de 2014, garante CEO da empresa

Por Redação | 20.05.2014 às 11:10 - atualizado em 21.05.2014 às 04:00

A incerteza terminou. A Intel, por meio de declarações de seu CEO Brian Krzanich, revelou que sua nova família de chips Broadwell estará disponível ainda em 2014, mais especificamente antes da chegada da temporada de compras de final de ano. À agência Reuters, o executivo disse que a presença dos chips nas prateleiras das lojas está “garantida” e não haverá unidades limitadas nem colocadas nas prateleiras às pressas.

A ideia original da Intel era colocar os chips no mercado na temporada de volta às aulas dos Estados Unidos, que acontece no início do segundo semestre. Além disso, a Apple confiava bastante na nova arquitetura para realizar mudanças bastante significativas nos hardwares de sua nova geração de computadores. A possibilidade ainda existe, já que as máquinas também devem chegar ao mercado em meados do segundo semestre, mas Krzanich preferiu não comentar o assunto.

Apesar de a temporada de Natal, Ação de Graças e Black Friday ser vista como um grande incentivo à compra de computadores, é na volta às aulas que os PCs realmente brilham e ainda conseguem melhorar um pouco seus números cada vez mais em queda. Com os filhos saindo para a universidade ou começando um novo ano escolar, os pais tendem a adquirir novas máquinas para auxiliá-los nos estudos. Mas isso significaria a disponibilidade da linha Broadwell entre julho e agosto, uma data que o CEO da Intel diz não ser capaz de cumprir.

Krzanich confirmou os rumores de que atrasos na fabricação motivaram o adiamento da previsão original de lançamento da família Broadwell, que estava marcada para chegar no começo do ano. O processo de produção dos chips, que utilizam arquitetura de 14 nanômetros (em oposição aos 22 nanômetros da geração atual) se provou mais complicado do que a Intel esperava, mas agora as coisas parecem ter se acertado e os componentes estão no caminho certo para serem lançados em breve.

São diversos os benefícios e praticamente todos eles explicam porque a Apple é uma das principais interessadas nos novos chips. Apesar de reconhecida por lançar computadores com potencial de processamento considerável e baixo gasto de energia, a Maçã também é notável pelos preços mais altos de seus notebooks em relação à concorrência.

O uso dos processadores Broadwell, porém, poderia reduzir tais valores em até US$ 100, potencialmente criando o MacBook Air com preço de lançamento mais baixo da história da Apple, como explica o Apple Insider. Além disso, o ganho com o consumo de energia é de cerca de 30%, levando a autonomia do aparelho até impressionantes 12 horas longe da tomada.

A data de lançamento fixada pela Intel, porém, pode jogar tais inovações para o ano que vem, na geração seguinte de modelos da marca. Apesar disso, nem tudo está perdido já que, caso a fabricante consiga entregar os chips para seus parceiros comerciais um pouco antes da chegada oficial deles às lojas, um upgrade na linha de MacBooks Pro pode acontecer ainda antes do fim do ano, trazendo o primeiro olhar sobre a linha Broadwell às mãos dos consumidores da Maçã antes que 2014 chegar ao fim.