China exclui Apple de lista de fornecedores do governo

Por Redação | 06 de Agosto de 2014 às 17h35
photo_camera Divulgação

O governo chinês excluiu diversos gadgets da Apple da lista de produtos que podem ser adquiridos com dinheiro público alegando preocupações com segurança, afirmaram oficiais do governo próximos do assunto à Bloomberg.

Um total de dez produtos da empresa foram listados, incluindo o iPad, iPad Mini, Macbook Air e MacBook Pro. Segundo as fontes do site, os produtos foram excluídos da versão final de uma lista de compras da Comissão de Reforma e Desenvolvimento Nacional, do Ministério das Finanças do governo chinês, emitida em julho. A informação, no entanto, não foi tornada pública.

A decisão exclui os dispositivos da empresa de qualquer compra de departamentos do Partido Comunista chinês, além de ministérios e governos locais.

A lista de empresas excluídas das compras do governo chinês é grande, e já incluíu empresas como a HP, Dell e Microsoft, que teve o Windows 8 excluído de uma compra em maio, além das desenvolvedoras de softwares de segurança Symantec e Kaspersky – todas sob alegações de suposta ciberespionagem.

O analista da companhia de segurança UOB Kay Hian, Mark Po, afirmou à Bloomberg que o governo chinês quer garantir que empresas estrangeiras não exerçam muita influência dentro do país, e manda a mensagem para coorporações e agências de governos através da exclusão de itens.

De acordo com dados da própria publicação, a região da "Grande China", que também inclui Taiwan, Hong Kong e Macau, foi responsável por 16% das receitas de US$ 37,4 bilhões que a Apple teve no ano passado.

A empresa ainda não comentou o assunto. A próxima revisão da lista deverá ser liberada apenas em janeiro de 2015.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.