CEO da Microsoft quer experimentar com versões e preços do Windows

Por Redação | 25 de Abril de 2014 às 16h16

Nesta quinta-feira (24), Satya Nadella conduziu sua primeira conference call com acionistas no posto de CEO da Microsoft. E, apesar dos resultados menores que os do ano passado, mas ainda acima das expectativas de mercado, o grande assunto mesmo foram os passos que a empresa dará daqui em diante, sob sua batuta. Para ele, a palavra de ordem é experimentação. Quem mostra é o site da revista americana PC World.

Durante a conversa, ele disse que não existem “vacas sagradas” dentro da empresa e que todos os seus serviços podem ser trabalhados para melhor atender aos usuários. E isso inclui até mesmo o Windows e seu modelo de preço, um sistema operacional que Nadella quer ver presente não só em computadores, mas em todo tipo de dispositivo. E, para isso, é preciso ter mecânicas diferentes de cobrança e usabilidade.

O crescimento na utilização de serviços na nuvem pelos usuários foi acompanhado pelo foco na empresa em plataformas como o Bing, o Office 365 e o Azure. Foram esses os nomes responsáveis por um lucro de US% 5,6 bilhões nos primeiros três meses do ano, dentro do faturamento total de US$ 20,4 bilhões. É um sinal de mudanças no comportamento dos consumidores que a empresa, mais do que nunca, deseja acompanhar.

Nadella não falou especificamente sobre um dos rumores mais presentes do momento, que indicam a adoção de um modelo de assinaturas para o Windows, ou até mesmo uma versão gratuita baseada em anúncios. Ele disse, porém, que a empresa sabe que se encontra em um mercado muito maior que o de computadores e deseja expandir sua presença para diversos nichos, incluindo as tecnologias vestíveis, um tipo de dispositivo que ainda não havia sido abordado por ela.

A aquisição da Nokia, por exemplo, foi citada como um ponto-chave para a estratégia da Microsoft no mundo mobile, mas o CEO não entrou em detalhes sobre o que será feito, especificamente, no mundo dos vestíveis. O caminho mais fácil é o uso da solução Windows Embedded em dispositivos de fabricantes parceiras, mas com a compra de boa parte da companhia finlandesa, incluindo suas fábricas, é possível que a Microsoft adote uma produção própria desse tipo de dispositivo.

Acostumando-se

Segundo Nadella, o momento da mudança começa agora. Ele conta ter passado seus primeiros meses no comando da empresa acostumando-se a ela e acumulando experiência, de forma a criar sua própria perspectiva de negócios. Isso coincidiu com um período de grandes mudanças na empresa, com a entrada e saída de executivos e a compra e fusão de novos setores de negócios.

Agora, diz ele, é hora de colocar tudo isso para funcionar. O objetivo, conta Nadella, é garantir que os serviços que são sucesso hoje continuem mantendo seus números positivos, na mesma medida em que uma nova Microsoft é preparada para enfrentar os desafios do futuro. E isso passa por, como o executivo já afirmou, quebrar algumas barreiras e pensar de maneiras que nunca foram imaginadas antes.

O lançamento de uma versão do pacote Office para o iPad e o foco em anúncios na plataforma Bing, por exemplo, seriam os dois primeiros passos do que está por vir. Há também fortes indícios de que a empresa estaria tomando uma atitude semelhante à das plataformas mobile com o Windows. Como um dos principais produtos da Microsoft no momento, é bem provável que o sistema operacional passe por uma série de mudanças bem em breve.

Nadella não detalhou exatamente o que significa essa desconstrução de barreiras e mudanças nos negócios tradicionais da empresa. Mas deixou claro que o mercado não precisará esperar muito para ver tais mudanças acontecendo.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.