CEO da HP diz que Microsoft está se tornando concorrente, não mais parceira

Por Redação | 10.10.2013 às 14:48

A boa relação de longa data entre HP, Microsoft e Intel parece ter se desgastado com o tempo. A CEO da HP, Meg Whitman, disse a analistas de Wall Street que a Microsoft passou de parceira para uma potencial concorrente no mercado.

A HP não vem enfrentando um bom momento, principalmente nas vendas de PCs. Em maio, a companhia registrou queda de 20% no lucro das vendas de PCs e desde então começou a se distanciar da empresa de Redmond. Whitman sabe que a HP demorou para se adaptar ao mercado de dispositivos móveis, que vem engolindo as vendas de PCs, e culpa a Microsoft e a Intel por isso.

"Dispositivos Wintel estão sendo agressivamente substituídos por PCs e dispositivos móveis baseados em chips ARM", disse ela. "PCs estão caindo enquanto tablets estão crescendo... parceiros de longa-data como Intel e Microsoft estão se tornando competidores".

A CEO também disse que a HP está tentando mudar rapidamente seu foco do mercado de PCs para um mercado mais diversificado, já que as vendas de desktops não dão sinais de que vão parar de cair trimestre após trimestre.

Este ano, a HP já lançou tablets e Ultrabooks equipados com Android e Chrome OS, ambos sistemas concorrentes do Windows 8 da Microsoft. E esta semana, a empresa também anunciou um novo Chromebook de 11" em um evento do Google, com as cores da empresa e que será vendido nas suas lojas virtuais.

Microsoft fica sozinha

Enquanto HP e Google estreitam sua relação, a Microsoft fica ilhada e mais distante. A gigante do software, que agora também é uma empresa de hardware, é a única a ter um tablet usando o Windows RT, uma vez que todas as parceiras parecem ter desistido do sistema.

Aparentemente, o movimento da Microsoft de começar a também fabricar seu próprio hardware, começando pelo Surface RT e Surface Pro, acabou afastando ainda mais suas antigas parceiras, como Acer, Dell e HP. E a compra da Nokia deve agravar ainda mais este cenário.

A Dell é a única grande fabricante que parece ainda confiar na empresa e seus produtos, mas ela também não anda registrando bons resultados financeiros. No começo de 2012, Whitman disse que a HP continuaria apostando no Windows pois ela ainda acreditava no sistema da Microsoft. Aparentemente, sua fé se abalou desde então, e agora a HP busca novos ares.