Brasileiros desejam que seus bancos ofereçam uma experiência mais personalizada

Por Redação | 14.06.2013 às 08:05

A Cisco divulgou sua pesquisa a respeito das experiências e expectativas dos clientes de bancos de varejo em relação ao uso da tecnologia em suas transações. Os resultados apontaram que 92% dos consumidores brasileiros gostariam de uma experiência bancária mais personalizada para ajudar a simplificar a gestão de suas finanças em múltiplos canais.

O relatório chamado 'Cisco Customer Experience Report' também identificou quais são os atributos mais importantes no ponto de vista dos consumidores brasileiros na hora de interagir com sua instituição ou assessor financeiro. São eles: disponibilidade (70% ), competência (66%) e eficiência (69%).

Os consumidores do país indicaram ainda estar dispostos a fornecer mais detalhes sobre seus hábitos financeiros e utilizar os bancos como assessores mais ativos em troca de alguns benefícios e comodidades na gestão de suas finanças, entre eles:

  • Maior proteção contra roubo de identidade (92%)
  • Maior economia (91%)
  • Serviços personalizados (92%)
  • Maior simplicidade (77%)

Em todos os quesitos citados, os brasileiros ficaram acima da média mundial dos demais consumidores. A maioria dos entrevistados (71% no mundo e 79% no Brasil) também indicou sentir-se confortável com o crescente uso de comunicações virtuais, além das conversas financeiras feitas pessoalmente.

"A guerra pelo consumidor financeiro começou. Os bancos de varejo que forem bem-sucedidos no fornecimento de uma experiência perfeita de cliente em todos os canais – agência, celular, internet, call centers – serão os vencedores no futuro", disse Jorgen Ericsson, vice-presidente de Prática Global de Serviços Financeiros da Cisco Internet Business Solutions Group (IBSG), por meio de um comunicado.

Para concluir seu relatório global, realizado no começo de 2013, a Cisco contou com respostas de 1.514 consumidores e 405 profissionais bancários, em 10 países: Alemanha, Brasil, Canadá, China, Estados Unidos, França, Índia, Japão, Reino Unido e Rússia. O relatório analisou as opiniões sobre como e quando os consumidores desejam interagir com seus bancos, em diversos canais, em atividades que vão do monitoramento de contas à aquisição de aconselhamento financeiro.