Blizzard, uma tempestade de entretenimento

Por Ultradownloads | 31 de Janeiro de 2012 às 10h14

A Blizzard Entertainment está para a indústria de games como a Marvel e DC Comics estão para o mercado de quadrinhos. Enquanto personagens como Homem-Aranha, Batman e Super-Homem são constantemente atualizados e se reinventam de tempos em tempos para atrair novos leitores, os jogos da Blizzard funcionam mais ou menos da mesma forma.

A gigante norte-americana conta atualmente com quatro franquias de extremo sucesso no setor de entretenimento digital: Warcraft, Diablo, StarCraft e World of Warcraft – ou WoW para os mais íntimos. É possível perder horas falando da importância e das respectivas revoluções que cada um deles trouxe à época.

Mas antes de tudo, vamos falar um pouco dos primeiros dias da companhia.

Silicon & Synapse

Os companheiros de faculdade Michael Morhaime, Allen Adham, e Frank Pearce fundaram a Silicon & Synapse em 1991, um ano antes de se formarem pela universidade californiana UCLA. O trio de engenheiros se especializou em realizar ports (reprogramar o mesmo jogo de um sistema a outro) de games conhecidos. Dois anos depois lançaram suas criações originais: Rock’n Roll Racing e The Lost Vikings para diversas plataformas.

O primeiro trazia corridas no embalo de clássicos do rock e heavy metal, como Paranoid, Highway Star e Born To Be Wild, digitalizados em 16-bits. As corridas envolviam disputas acirradas contra outros competidores, que disparavam mísseis ou armadilhas contra você. Sucesso de crítica e público, R'n'R Racing foi louvado como o melhor jogo de corrida de 1993 pela revista norte-americana EGM.

Já Lost Vikings foi um marco para o gênero de plataforma e puzzles. Com a possibilidade de controlar três personagens diferentes, o jogador deveria utilizar as habilidades de cada um deles para poder avançar entre as fases. Enquanto um dos vikings atacava, outro poderia proteger o grupo com seu escudo. Tudo envolvia uma estratégia de jogabilidade. Enquanto deveríamos deixar um personagem, dos três vikings, vivo para completar cada fase, a solução dos quebra-cabeças poderia levar algum tempo para se solucionar.

Tela de abertura do primeiro jogo The Lost Vikings

O jogo ganhou uma continuação em 1997, The Lost Vikings II, e ganhou versões para o Super Nintendo, PlayStation, Sega Saturn e PC. A sua essência continuava praticamente a mesma, trazendo de volta os conhecidos Eric, Olaf, e Baleog em uma aventura mais expandida, acrescentando dois novos personagens: o lobo Fang e o dragão Scorch.

Um novo rumo

Após o sucesso de crítica e público com seus títulos originais, a empresa preparava o lançamento de seu primeiro título exclusivo para PC. Enquanto a produção ainda trabalhava no projeto de um jogo de estratégia inovador, os fundadores decidiram abandonar o nome original do grupo, e adotaram o que conhecemos até hoje: Blizzard Entertainment.

Em 1994 lançavam no mercado Warcraft: Orcs & Humans, nos apresentando o fantástico mundo de Azeroth e a eterna luta entre humanos e orcs. Neste título de estratégia em tempo real, o jogador deveria escolher entre uma das raças, angariar recursos naturais, treinar um exército, proteger sua cidade, e sair desbravando por terra ou por mar o terreno do jogo.

Montagem sob Divulgação

Mosaico com telas de Warcraft: Humans & Orcs

Aqui, algumas características marcantes da produção da Blizzard já eram visíveis. O tom de voz descontraído dos atores que dublaram os personagens, de peões ao mais alto escalão do exército, sempre traziam alguma frase de efeito. Além disso, a jogabildade é focada em cada um dos personagens que o jogador cria, e que podem fazer a diferença ao proteger um local ou atacar uma raça -- diferente das séries Command & Conquer e (a extinta) Age of Empires, em que dezenas de tropas poderiam morrer em confrontos.

Divulgação

Imagem de Warcraft III: Reign of Chaos

Depois disso, tivemos Warcraft II: Tides of Darkness, em 1995, que popularizou a série e rendeu diversos prêmios, sendo bem recebido pela crítica e público. Em 2002 chegava Warcraft III: Reign of Chaos, e, ao lado de StarCraft, tornou-se um título importante na profissionalização de competições que a Blizzard produzia.

World of Warcraft

Dentre todo o histórico de jogos que a companhia colocou em circulação, World of Warcraft foi o que mais atingiu popularidade sem precedentes em escala global. Lançado em 23 de novembro de 2004, o título só pode ser jogado através de assinatura mensal ou anual.

WoW chegou aos mercado dos quatro cantos do mundo, contando com cerca 12 milhões de assinantes espalhados pelo globo e disponível em oito idiomas diferentes -- sendo a versão em português brasileiro, a mais recente a ser lançada.

O jogo recebeu três expansões, sendo World of Warcraft: Cataclysm a última, que vendeu mais de 3.3 milhões de cópias nas primeiras 24 horas do dia sete de dezembro de 2010. As vendas garantiram o título de jogo de PC que vendeu mais rápido em todos os tempos.

Divulgação / Blizzard

Jogadores em World of Warcraft (WoW)

Outras expansões, como World of Warcraft: The Burning Crusade e World of Warcraft: Wrath of the Lich King, venderam respectivamente 2.4 e 2.8 milhões de cópias também no primeiro dia que chegaram às lojas.

StarCraft

Enquanto Warcraft trazia um universo permeado de elementos de magia e fantasia medieval, StarCraft seguia mais a linha de ficção científica, com influências de filmes como Alien a Mad Max. Lançado em março de 1998, o jogo traz o mesmo enfoque na estratégia em tempo real como Warcraft e conta uma história de guerra entre três raças: Terranos, Zergs e Protoss.

Os Protoss são a raça mais evoluída, e contam com unidades poderosas e tecnologia avançada, mas que demoram a ser produzidas. Os insetos Zergs possuem unidades e estruturas totalmente orgânicas, que são mais rápidas de serem produzidas e custam menos recursos, mas também possuem baixa defesa. Os Terranos são os intermediários entre e as duas raças, e possuem unidades de infantaria versáteis e flexíveis, além de maquinários pesados.

O jogo foi o terceiro título da empresa a ser número um em vendas e foi muito bem recebido pela crítica especializada.

Protoss enfrentando Terranos em StarCraft II

A sua sequência foi muito aguardada, e demorou cerca de 12 anos para ser finalizada. StarCraft II: Wings of Liberty vendeu mais de 1 milhão de cópias em suas primeiras 24 horas do dia 27 de julho de 2010 e, ao completar um mês, já havia alcançado a marca de 3 milhões, fator que o tornou o jogo de estratégia que vendeu mais rápido na história dos videogames.

StarCraft se tornou um clássico em torneios de videogames profissionais, atingindo popularidade na Coreia do Sul, onde o jogo exerce um papel importante nas competições profissionais de jogos eletrônicos com transmissões ao vivo. O título é apontado como um dos principais fatores por trás do crescimento de Lan Houses.

Diablo

Diferente dos jogos de estratégia em tempo real que a companhia tinha desenvolvido até então, Diablo era o primeiro jogo do tipo ação e aventura da empresa, que mesmo contando com uma trama que mesclava elementos de fantasia medieval, trazia novos ares ao já consolidado público da Blizzard.

A história conta com o clássico embate entre anjos e demônios na planície da fictícia Khanduras, em que tanto membros do Céu e o Inferno tentam ludibriar o homem a se juntar a sua causa. Um dos líderes da legião do mal, Diablo, tem sua alma aprisionada em uma pedra mística, e esta é enterrada em um monastério para impedir que o mal da pedra influencie qualquer um.

Com o tempo, o propósito do monastério é esquecido e é deixado às ruínas. Um vilarejo chamado Tristram surge nas suas redondezas, e uma catedral é construída no local das ruínas. Mas acontecimentos estranhos começam a ocorrer no vilarejo, pessoas desaparecem, e o terror toma conta dos seus habitantes.

Reprodução

Primeiro chefe de Diablo, The Butcher (O Açogueiro)

E é aí que a história começa, quando chegamos com o nosso herói no local. Vamos descendo a Catedral para enfrentar as diversas criaturas maléficas que habitam seus corredores, e em ponto chegamos no próprio Inferno, para enfrentar Diablo, o Lorde do Terror, que está em nosso mundo em carne e osso.

O jogo nos apresentou a visão isométrica (em que o personagem fica no meio da tela), uma jogabildiade simples, que conta basicamente com os cliques do mouse para se movimentar, coletar itens e atacar os inimigos, e alguns comandos do teclado. Era possível criar um Guerreiro, um Mago ou uma Arqueira para enfrentar as legiões do mal.

Diablo também contava com o acesso à rede Battle.Net, que permitia disputas online tanto competitivas quanto cooperativas pelas 16 fases. O jogador poderia se juntar a outras pessoas para vencer inimigos, e, a cada um que era derrotado, a experiência era compartilhada para quem fazia parte do grupo -- o fator online é considerado uma característica precursora do MMORPG, que viria a ser explorada e ampliada com WoW.

Lançado em 1996 para PC e Mac, o jogo ganhou uma versão para PlayStation dois anos depois, pelas mãos da Electronic Arts, em que todas as funcionalidades eram controladas a partir do controle do console. O port ficou muito bem feito e ajudou a popularizar ainda mais a série, dando novos rumos ao gênero de RPG no ocidente.

Divulgação

Druida utilizando suas habilidades na expansão Diablo II: Lord of Destruction

Em 2000, a Blizzard Entertainment lançou a sequência do jogo, Diablo II, que quebrou o recorde de jogo para computador que vendeu mais rapidamente até o momento de seu lançamento. Muitas melhorias foram adicionadas, como a parte gráfica, muito mais itens únicos e raros foram acrescentados, além de cinco classes totalmente distintas, com seus pontos fortes e fracos.

Era possível escolher entre o Paladino, que mantém as características do guerreiro com espada e escudo; o Bárbaro, que dificilmente necessitava se defender e pode atacar diversos inimigos de uma vez com as duas mãos; a Amazona que dispara dezenas de flechas com sua incrível destreza; a Feiticeira que controlava elementos magias de fogo e gelo e, por fim, o Necromante, que ressuscitava inimigos para lutar ao seu lado.

Em 2001 a expansão Diablo II: Lord of Destruction vendeu mais de um milhão de cópias no primeiro mês e foi um dos jogos mais vendidos de 2001. E mais de dez anos depois fãs do mundo todo aguardam ansiosamente a sequência, Diablo III, anunciada no final de 2008, que vem sendo adiada, mas com o beta sendo testado por várias pessoas, é possível que ele dê as caras ainda em 2012.

Battle.net

Com o lançamento de StarCraft II, a Blizzard lançou a mais nova versão do Battle.net, seu aclamado serviço de jogo online. Totalmente remodelado, o sistema foi criado para se tornar o ponto de encontro de todos os fãs da Blizzard, com várias melhorias e novos recursos, como comunicação via voz, armazenamento de dados em nuvem, ligas e rankings, realizações, registro de estatísticas e muito mais.

Outros produtos

Os produtos de alta qualidade baseados nos jogos da Blizzard Entertainment também se mostraram populares entre crítica e público. Estes produtos incluem figuras de ação, livros, revistas em quadrinhos, mangás, jogos de tabuleiro, RPGs de mesa, vestuários, jogos de miniatura do World of Warcraft e o jogo de cartas de World of Warcraft, um dos mais vendidos em sua categoria.

No intuito de expandir ainda mais o universo de seus jogos, a Blizzard Entertainment está atualmente trabalhando na produção do filme Warcraft, a ser dirigido por Sam Raimi, em conjunto com a Legendary Pictures, produtora responsável por sucessos do calibre de Watchmen, 300 e Batman - O Cavaleiro das Trevas.

Fonte: Perfil Oficial da Blizzard

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.