BlackBerry anuncia novos planos de monetização da plataforma BBM

Por Rafael Romer | 22.04.2014 às 17:46

A BlackBerry anunciou oficialmente nessa terça-feira (22) quais serão os modelos de monetização de sua plataforma de mensagens instantâneas, o BBM. Os planos já tinham sido sinalizados pela empresa no final do mês passado, mas só agora tiveram seus detalhes abertos.

O BBM possui atualmente cerca de 113 milhões de usuários registrados em todo o mundo, 85 milhões dos quais são considerados ativos. De acordo com a empresa, 65% deles utilizam a plataforma diariamente. "Isso mostra como o BBM é importante para o cotidiano de usuários. Não há uso casual ou intermitente da plataforma, seja para no nível pessoal ou profissional", afirmou o Diretor Sênior de Desenvolvimento de Negócios para o BBM, David Proulx, em uma conferência com jornalistas nesta manhã.

O objetivo da empresa é aproveitar esse alto índice de engajamento diário no envio de mensagens para alavancar serviços extras que podem expandir a interação com o BBM, além de fornecer novas possibilidades de receitas para a BlackBerry.

De acordo com o executivo, o foco no desenvolvimento dos planos de monetização foi não penalizar os usuários finais ou modificar seu engajamento normal com a plataforma. A aposta foi no alto nível de confiança de usuários nos sistemas e na segurança do BBM, e ele acredita que qualquer mudança brusca no modelo poderia não ser bem vista.

Baseada nesses objetivos, a monetização do BBM terá quatro pilares diferentes, que serão implementados em sequência cronológica e trarão diferentes modelos de monetização.

O primeiro deles é a venda de artigos virtuais através do BBM Shop, anunciado no início desse mês com uma série de atualizações para o BBM. Os artigos incluem "adesivos" (stickers) de alta resolução para ser utilizados dentro dos chats, semelhantes aos encontrados em plataformas com o WhatsApp e Facebook Messenger.

Na loja, os usuários podem adquirir pacotes de stickers que custam US$ 1,99. A expectativa da BlackBerry é disponibilizar a plataforma para empresas comercializarem seus próprios pacotes de stickers. O lançamento oficial da BBM Shop deve ser realizado em breve, mas uma versão beta dos stickers já está disponível no BBM.

A segunda forma de monetização será focada em empresas por meio do sistema BBM Channels, apresentado em versão beta em novembro de 2013. O sistema insere conteúdo patrocinado no BBM para interação entre marcas e personalidades com os usuários da plataforma. Atualmente, ela já conta com mais de 500 mil canais criados, com uma média de leitura de 11,5 publicações por dia por usuário.

Com o sistema, usuários poderão receber conteúdos de publicações e convites patrocinados de acordo com características como idade, localização e interesses de usuários particulares. O conteúdo chegará através da área de "atualizações" do BBM, que é o segundo espaço mais visitado por usuários após as janelas de chat.

De acordo com a empresa, nenhum conteúdo patrocinado será inserido nos bate-papos do BBM. Da mesma forma, o usuário poderá escolher "ignorar" qualquer conteúdo patrocinado de marcas que não desejar receber.

A terceira plataforma é focada no em clientes corporativos do BBM e funcionará em smartphones da BlackBerry e pela ferramenta BlackBerry Enterprise Service (BES). Apelidado de BBM Protected, o serviço de envio de mensagens seguras terá criptografia de ponta-a-ponta e poderá ser gerenciado pela própria equipe da TI da empresa que utiliza o serviço, definindo políticas próprias de segurança.

A expectativa é que o serviço comece a ser disponibilizado a partir do segundo semestre deste ano, por meio da eBBM Suite – uma plataforma de produtos voltados para o mercado corporativo.

Por fim, a empresa também tem planos de integrar serviços de pagamento para transferências nacionais e internacionais de fundos entre pessoas e empresas via mensagens instantâneas. Apelidado de BBM Money, o sistema já está em fase de testes na Indonésia, mas ainda não tem previsão de ser implementado em outras regiões.

Mercado acirrado

Desde a compra do WhatsApp pelo Facebook em fevereiro, por US$ 19 bilhões, o mercado de mensagens instantâneas tem se acirrado e toma cada vez mais forma, com players mais organizados e fortes. "O setor de mensagens móveis ainda está nos estágios iniciais de desenvolvimento como negócio", opina Proulx "Ainda não há um modelo concreto e nós podemos avaliar múltiplas possibilidades de monetização com nosso portfólio".

Nesse cenário, o anúncio da BlackBerry acontece em um momento no qual a BlackBerry briga não só para manter sua plataforma de mensagens instantâneas relevante entre usuários, mas também como uma tentativa de ajudar a reduzir as perdas da empresa nos últimos meses, além de fechar suas contas no azul no segundo trimestre do ano fiscal de 2015.

No início de abril, a empresa já havia anunciado uma série de atualizações ao BBM. Além do já citado BBM Shop, a atualização também expandiu a capacidade de compartilhamento de arquivos para documentos de até 16 MB, além de melhorar a ferramenta de envio de imagens.

Em outubro do ano passado, a BlackBerry disponibilizou novos apps do BBM para os sistemas Android e iOS, na tentativa de expandir a base de usuários do serviço e as possibilidades de monetização. A estratégia se mostrou benéfica e, em cerca de dez horas, mais de 10 milhões de novos usuários se cadastraram no serviço. A expectativa agora é de ainda nesse semestre disponibilizar o BBM para a plataforma Windows Phone.