Bitcoin tem mais potencial do que o Facebook, afirmam os gêmeos Winklevoss

Por Redação | 20.05.2014 às 09:02

Tyler Winklevoss, um dos gêmeos mais famosos da tecnologia, disse ao jornal britâncio The Guardian que acredita no potencial do Bitcoin e que a criptomoeda terá um impacto mundial maior do que o Facebook.

Famosos por terem protagonizado um dos maiores processos judiciais da história da tecnologia contra Mark Zuckerberg por ter supostamente roubado a ideia deles para uma rede social enquanto trabalhavam juntos em Harvard, os irmãos Tyler e Cameron Winklevoss revelaram quem têm investido pesado na criptomoeda desde o ano passado.

"O Bitcoin tem potecial para ser mais impactante porque poder doar 50 centavos para alguém em qualquer lugar do mundo tem mais impacto do que simplesmente compartilhar uma foto", disse um dos gêmeos na entrevista.

Ainda na visão dos gêmeos, a principal característica da moeda virtual é a descentralização, com os pagamentos sem serem interceptados por instituições financeiras.

De acordo com a publicação, os irmãos seriam proprietários de 1% de todo o montante da moeda virtual e mais: eles estariam trabalhando para lançar um fundo cambial de Bitcoin semelhante à Nasdaq.

Os gêmeos preveem que este será o ano em que Wall Street entrará no mercado do Bitcoin e comparam o surgimento da moeda com o próprio surgimento da Internet. "Se uma nova tecnologia aparece e algum apoiador não se envolve, então eles geralmente perdem".

O preço do Bitcoin tem oscilado bastante nos últimos meses, tendo chegado a US$ 1.000 no ano passado para, em seguida, com a queda da Mt. Gox e as preocupações refentes a regulação da criptomoeda na China, caídopara US$ 440.

De qualquer modo, cada vez mais investidores de peso têm apoiado startups do ramo, acreditando que a moeda virtual possa vir a revolucionar o mercado de transações monetárias na internet. O valor atual de mercado de todos os bitcoins em ciruculação na rede é de cerca de US$ 5,7 bilhões, enquanto o Facebook está avaliado em aproximadamente US$ 150 bilhões.