Bilionário vende suas ações da Apple porque Steve Jobs era "uma pessoa terrível"

Por Redação | 09.10.2013 às 15:25

Julian Robertson é um daqueles nomes que você nunca ouviu falar, mas que possui uma fortuna bilionária (2,3 bilhões de dólares, para ser mais exato, segundo estimativa de 2011 da Forbes). Este investidor de Wall Street decidiu vender todas as suas ações da Apple por um motivo bem peculiar: ele não gosta mais de Steve Jobs.

Julian diz que sua motivação para se desfazer de todas as suas ações da empresa de Cupertino não foram pela previsão de que a Apple estaria em declínio, ou algo deste tipo, e sim porque ele percebeu que Steve Jobs era "uma pessoa horrível".

Robertson teve sua epifania depois de ler uma biografia de Steve Jobs – apesar de não ter revelado qual – e descoberto o que o resto do mundo já sabia: Jobs não era santo. "Eu li o livro e cheguei a conclusão que era improvável que alguém tão ruim como eu acho que Steve Jobs era poderia criar uma grande empresa em longo prazo", disse ele.

Pelo que deixa a entender, Robertson acredita que Steve Jobs não seria capaz de ter preparado sua empresa para se manter sem ele por muito tempo. Mas o bilionário afirma que se Jobs ainda estivesse vivo, provavelmente perdoaria suas falhas e continuaria investindo na empresa.

"Eu acho que se ele ainda estivesse aqui, eu ainda estaria nisso", disse sobre seu investimento na Apple. "Acho que ele é um dos grandes gênios do mundo".

Robertson é um filantropo ativo e ajuda um grande número de organizações e universidades ao redor do mundo. Ele é o fundador da Robertson Scholars Program. Sua atitude pode até ser considerada louvável, mas se ele pretende continuar investindo em grandes empresas, vai precisar procurar bastante para encontrar alguma que atenda a seus critérios.