As 10 principais previsões da Red Hat para 2013

Por Colaborador externo | 08.02.2013 às 12:10

*Por Paul Cormier, Presidente de Produtos e Tecnologias

Em 2012 os CIOs e as equipes de TI, em todo o mundo, aproveitaram as arquiteturas de computação em nuvem para planejar seus data centers a fim de melhorar o gerenciamento do volume explosivo de dados não estruturados. A Red Hat enxerga um movimento ainda maior no centro de dados para 2013 em tecnologias de nuvem, middleware, armazenamento e virtualização. A seguir, apresentamos nossas principais previsões para a TI corporativa:

  • A abordagem híbrida será o modelo predominante de implementação da nuvem em todo o mundo. A nuvem híbrida permite disponibilizar recursos aos usuários com a mesma facilidade de acesso de uma nuvem pública, enquanto o processo permanece sob a gestão centralizada de TI baseada em políticas. Em 2013, as empresas começarão a se beneficiar das arquiteturas de nuvem híbrida como um meio para alcançar uma arquitetura mais dinâmica ao longo do tempo.
  • O OpenStack continuará demonstrando o poder da inovação comunitária. A abertura é uma dos fatores mais importantes a impulsionar a TI híbrida porque ajuda os usuários a não depender de fornecedores e ecossistemas específicos. O OpenStack conta com uma ampla comunidade de mais de 180 empresas colaboradoras, entre elas a Red Hat, e 400 desenvolvedores participantes. Observaremos que a participação dos desenvolvedores resultará em alguns produtos comerciais em 2013, da mesma forma que o modelo de desenvolvimento em código aberto resultou em produtos inovadores nos setores de sistemas operacionais, middleware, entre outros.
  • A PaaS privada (e híbrida) será a tendência predominante. Como ocorreu com a IaaS, a PaaS será considerada não somente uma funcionalidade de nuvem pública mas também uma funcionalidade privada e híbrida.
  • O software de código aberto impulsionará a infraestrutura de software e hardware de armazenamento proprietários. O ritmo veloz da inovação na camada de software provavelmente ultrapassará a inovação em hardware. Atualmente, não é possível desvincular o hardware de armazenamento proprietário monolítico e sua camada de software proprietária. Isso mudará em 2013 com a rápida comoditização e padronização do hardware combinadas com uma maior inteligência na camada de software.
  • O armazenamento corporativo se transformará de um “destino para os dados” em uma “plataforma de dados”. Como plataformas de grandes volumes de dados e não apenas como destino para o armazenamento de dados, as soluções de armazenamento corporativo terão de oferecer escala e capacidade a um custo baixo, eliminar a migração de dados e ser capaz de crescer ilimitadamente, evitar os silos de armazenamento herdados, garantir a acessibilidade global aos dados e proteger e manter sua disponibilidade.
  • Mais empresas adotarão uma abordagem DevOps integrada. A comunicação, colaboração e integração, cada vez crescendo mais entre os desenvolvedores e as equipes de operações, eliminarão os problemas derivados de passagens de bastão incompletas, informações erradas ou habilidades insuficientes.
  • Os hábitos de compra e a percepção da tecnologia móvel mudarão radicalmente. Os dispositivos serão escolhidos priorizando o conteúdo e os serviços, e a tecnologia virá em segundo lugar. Essas aplicações e serviços estarão conectados a tecnologias de middleware corporativo como o Processamento de Eventos Complexos (CEP na sigla em inglês), o business intelligence e a Gestão de Processos de Negócio (BPM na sigla em inglês), para criar painéis de controle executivos e de negócio mais coesos e acessíveis.
  • O data center com múltiplos hipervisores continuará em crescimento. Assim como muitas empresas descobriram que as estratégias de um único fornecedor para sistemas operacionais e hardware não têm sentido em um mundo ágil, um único fornecedor de virtualização também não. Múltiplos fornecedores de virtualização continuarão proliferando nos data centers em 2013.
  • O sistema operacional continuará sendo o alicerce da infraestrutura de TI. O sistema operacional tem sido a pedra angular da TI tradicional durante décadas. À medida que as empresas continuarem migrando para a nuvem em 2013, o sistema operacional continuará atuando como um alicerce decisivo.
  • Surgirão novos modelos de negócio. Os dias em que os clientes corporativos queriam apenas um parceiro de canal que satisfizesse a necessidade de um produto ficaram para trás. O que querem mesmo são consultores de confiança: parceiros que possam orientá-los através das mudanças do setorde tecnologia e lhes ofereçam o diferencial competitivo em seu mercado ou setor.

*Paul Cormier é Presidente de Produtos e Tecnologias da Red Hat