Apple quer reduzir assinatura do Beats Music para US$ 5 por mês

Por Redação | 20 de Outubro de 2014 às 17h15

O primeiro passo da Apple na guerra dos streaming musicais, onde ela luta com o recém-adquirido Beats Music, seria cortar o preço da assinatura pela metade e colocá-lo em um patamar abaixo da concorrência. De acordo com informações não-oficiais publicadas nesta segunda-feira (20) pelo Recode, a ideia é fazer com que a inscrição passe a custar US$ 5 – cerca de R$ 13 – por mês.

A mudança não teria apenas a ver com o fato de boa parte da concorrência cobrar US$ 9,99 por mês, mas também uma razão de ser história dentro da Apple. De acordo com dados oficiais, os principais clientes da iTunes Store gastam cerca de US$ 60 todos os anos com conteúdo. Isso, dividido por 12, dá US$ 5 por mês, que seria o preço que a Maçã gostaria de cobrar para permitir acesso ao catálogo do Beats Music.

Porém, não se trata apenas de uma questão de mudar o preço. Para a empresa, seria preciso renegociar também os valores de royalties pagos pelas faixas reproduzidas, mesmo que inicialmente, até que o serviço ganhe tração e comece a lucrar pela escala. E isso é algo que artistas, distribuidoras e gravadoras não estariam dispostos a fazer, exigindo pagamentos mais altos e votando sim, por uma redução, mas que colocaria a assinatura do Beats Music em torno dos US$ 7 a US$ 8 por mês.

Para a Apple, porém, essa seria uma discussão que não teria muita lógica. Se o usuário médio da iTunes Store já gasta US$ 5 por mês, é esse o valor que as gravadoras recebem. Sendo assim, pouca coisa mudaria, além de uma possível maior margem de lucro, já que gente nova poderia assinar o Beats Music com esse valor inferior ao da concorrência, trazendo mais dinheiro para o sistema, aumentando a visibilidade dos artistas e, junto com isso, os royalties pagos.

A comparação pode não ser possível de ser feita, mas é com ela que a Apple está trabalhando junto à indústria fonográfica. Esse tipo de negociação, inclusive, foi um dos motivos pelos quais a empresa trouxe os fundadores da Beats, Dr. Dre e Jimmy Iovine, para seu quadro de funcionários após a compra. Afinal de contas, o rapper e o produtor são bem conceituados, têm seus contatos e, sendo assim, podem ser providenciais na obtenção de acordos melhores.

Mais do que tudo isso, a redução na assinatura seria uma resposta direta ao Spotify, serviço que cada vez mais se torna um dos grandes expoentes do mundo do streaming. Nesta segunda-feira (20), a empresa anunciou um "plano familiar" que reduz pela metade o preço do serviço para parentes de quem já é assinante. Assim, o valor fica nos tais US$ 5 e o compartilhamento de senha, uma alternativa incômoda para muita gente, é deixado de lado.

O Recode aposta que a iniciativa não vai dar certo – e sim, que a Apple vai conseguir uma redução, mas que ela não deve passar da casa dos US$ 2 ou US$ 3, pelo menos inicialmente. Oficialmente, porém, não existem palavras sobre o assunto, já que a Apple, como sempre, se mantém calada sobre rumores e especulações.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!