Apple pode mudar iTunes para competir com serviços de streaming

Por Redação | 10 de Abril de 2014 às 13h05

Apesar de ter liderado uma revolução na indústria musical com o iPod, a Apple parece estar ficando cada vez mais para trás quando o assunto são os serviços de streaming de músicas. Apesar de ver o iTunes Radio como a terceira maior plataforma do tipo nos Estados Unidos, a empresa estaria insatisfeita com o fato de seus usuários não estarem mais adquirindo tantas músicas quanto antigamente. E, para continuar relevante, estaria planejando uma mudança drástica e completa em sua atuação no segmento.

As informações são da Billboard, que cita uma queda de 13% nas vendas digitais de músicas em território americano, em relação ao primeiro trimestre do ano passado. Enquanto isso, o faturamento de serviços como Pandora e Spotify continua subindo, já que os usuários estão mostrando preferência por soluções online, que possam ser acessadas de qualquer lugar e não precisem de acesso local nem dependam de uma biblioteca própria.

É justamente esse o problema enfrentado pela Apple. Hoje, o iTunes Radio funciona como um serviço de recomendações, reproduzindo faixas de acordo com a preferência dos usuários. Apesar de bastante popular, os usuários do serviço não estariam efetivamente adquirindo as faixas ouvidas no serviço, preferindo permanecer com a solução online e gratuita, baseada em anúncios.

E já que não é possível vencer seus inimigos, por que não juntar-se a eles? Seria essa a tônica da mudança que estaria sendo preparada para o iTunes. O primeiro foco seria o lançamento de um serviço de streaming “convencional”, que daria acesso a todo o portfólio da empresa e cobraria assinaturas de seus usuários.

O segundo passo, mais controverso, seria o lançamento de uma versão do iTunes para o Android, ampliando significativamente sua base de usuários. Assim, a ideia é não apenas aumentar a venda de músicas digitalmente como também o número de usuários do Radio, gerando mais dinheiro a partir da venda de publicidade.

A medida seria bastante polêmica, principalmente entre os mais puristas. E desse grupo, claro, fazia parte o próprio Steve Jobs, que no passado já jurou “destruir” o Android pelo que ele alegava ser a cópia de uma série de elementos do iOS. Por outro lado, não dá para negar o tamanho da plataforma, que hoje está presente em mais da metade dos smartphones de todo o mundo.

Segundo fontes ligadas ao mercado fonográfico e ouvidas pela revista americana, a queda nas vendas de músicas é inevitável e a Apple não tem outra possibilidade a não ser revitalizar os seus serviços para lidar com as novas dinâmicas do mercado. A empresa, claro, não se pronunciou sobre possíveis mudanças no iTunes.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.