Apple pede que governadora do Arizona vete projeto de lei anti-gay

Por Redação | 27 de Fevereiro de 2014 às 09h54

A Apple é a primeira empresa do mercado tecnológico a se manifestar contra um projeto de lei abusivo do governo do Estado do Arizona, nos Estados Unidos. A proposta prevê que empregadores possam deixar de contratar funcionários apenas com base em sua orientação sexual, apontando "motivos religiosos" em sua decisão.

Antes disso, Delta, Marriott International e American Airlines já haviam solicitado que a governadora do Arizona, Jan Brewer, vetasse a polêmica lei, que é apontada como um enorme retrocesso na luta pelos direitos humanos.

As empresas afirmam que a aprovação do projeto iria contra as suas políticas internas de respeito e igualdade aos seus funcionários, algo que poderia fazer com que as companhias fechassem seus escritórios e abandonassem as operações no Estado. A pressão se torna ainda mais crítica devido ao momento vivido pelo Arizona, que já passa por problemas de recessão econômica.

De acordo com a CNNMoney, a controversa lei de liberdade religiosa foi aprovada na semana passada pela Assembleia Legislativa do Estado. Enquanto os criadores da lei dizem que ela se trata de uma forma de “assegurar a liberdade de crença”, parte da sociedade chama o projeto como uma “discriminação sancionada pelo Estado”.

apple gay friendly

A Apple, que tem sido defensora dos direitos LGBT, é atualmente classificada como uma das empresas mais gay-friendly (amigável a gays) do mundo. O episódio se torna bastante delicado, já que a companhia havia anunciado no ano passado a instalação de uma fábrica no Arizona, algo que levaria mais de 2 mil empregos para a região. Além disso, a marca também mantém seis lojas no Estado, de acordo com o site da companhia.

Quando a nova fábrica da Apple foi anunciada, a governadora do Arizona se mostrou confiante na geração de novos empregos. “A Apple é, indiscutivelmente, uma das empresas mais inovadoras do mundo e estou muito feliz em recebê-la no Arizona. A Apple terá um impacto econômico extremamente positivo para o Arizona e sua decisão de instalar uma fábrica aqui fala muito sobre o clima amigável e pró-negócios que temos criado nos últimos quatro anos”, declarou Brewer à época.

Ao que tudo indica, caso a governadora não tome uma atitude em relação às pressões das grandes empresas, como a própria Maçã, o ambiente “pró-negócios” do Estado tende a mudar. A ameaça da Apple em deixar a nova fábrica de lado definitivamente é algo a ser levado a sério pelo governo.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.