Apple fala sobre queda nas vendas de músicas digitais

Por Redação | 29 de Outubro de 2014 às 11h13

Os rumores de que a Apple pode estar cada vez mais próxima de deixar o mercado de venda de música digital e abraçar de vez o mundo do streaming com a Beats Music ganharam força nesta terça-feira (28) quando a empresa, em documentos, admitiu de maneira clara uma queda drástica no segmento. A informação veio em documentos registrados junto à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos, em seu relatório financeiro anual.

De acordo com a companhia, o crescimento contínuo da iTunes Store no segmento de aplicativos para iOS chegou a ser afetado pelo declínio nas vendas de música digital. A Apple não fala exatamente em números sobre o assunto, mas deixa claro que o setor está cada vez mais difícil, recebendo menos atenção da empresa. A situação se tornou mais grave quando essa queda começou a afetar outros segmentos altamente lucrativos, porém.

Não que essa informação seja novidade para ninguém. Como cita o Venture Beat, analistas de mercado apontam que o ano de 2014 deve trazer uma queda de 11% a 14% nas vendas de faixas por meios digitais, um resultado que vem se repetindo já há alguns anos. Na mesma medida, assinaturas de serviços como Spotify, Pandora e outros devem crescer cerca de 30%, mostrando claramente uma mudança no gosto dos consumidores de música.

Seria esse, inclusive, o grande motivo por trás da aquisição da Beats Electronics, realizada há alguns meses. A empresa fundada pelo rapper Dr. Dre e pelo produtor Jimmy Iovine teria sido adquirida não apenas por seus equipamentos de áudio de qualidade, mas também pelo promissor serviço Beats Music. O valor pago foi de US$ 3 bilhões, em uma das maiores aquisições já feitas pela Maçã.

Há quem diga, inclusive, que a Apple estaria preparando, para o início do ano que vem, uma transição completa da plataforma de streaming, integrando-a sob o guarda-chuva do iTunes e transformando-a em um serviço integrado à loja online. Os rumores sobre isso são antigos, mas a ideia atual é que a companhia está trabalhando na ligação destes sistemas e também na maneira com a qual os usuários vão interagir com ele.

Para facilitar a transição e, acima de tudo, atrair consumidores, a Apple estaria também trabalhando em uma tentativa de reduzir o valor das assinaturas, dos atuais US$ 9,99, para US$ 5. Assim, o novo serviço começaria a operar com um valor que representa metade do cobrado pela concorrência, incentivo o suficiente para atrair novos clientes e também roubar alguns das plataformas já existentes. A iniciativa, porém, estaria enfrentando certa resistência de gravadoras e distribuidores da indústria fonográfica.

Por enquanto, tudo isso não passa de rumor, mas os documentos registrados junto às autoridades dos Estados Unidos representam uma das primeiras vezes em que a Apple falou diretamente sobre a queda nas vendas de música digital. Não é necessariamente a admissão de derrota que muita gente do mercado está esperando, mas, provavelmente, trata-se de mais um indício de que a empresa está de olho no problema e pode começar, em breve, a trabalhar para solucioná-lo.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.