Apple estaria trabalhando em “revitalização” do iAd

Por Redação | 20 de Outubro de 2014 às 15h45

Todo e qualquer anúncio da Apple é feito com pompa e grande destaque e não foi diferente com o iAd, a plataforma de anúncios para aplicativos no iOS revelada por Steve Jobs em 2010. O resultado da iniciativa, porém, não foi tão grandioso quanto sua revelação – o objetivo principal, de conquistar 50% do mercado de publicidade mobile, caiu perante concorrentes melhor preparados como o Google e Facebook. Para muita gente, o sistema estava fadado a cair no esquecimento, mas a empresa parece estar disposta a trazê-lo de volta à vida.

De acordo com informações publicadas pelo site Business Insider, a ideia da Apple é não apenas revitalizar o iAd, mas também dar a ele funcionalidades exclusivas por meio do que a empresa está chamando de “cross-device retargeting”. Trata-se, basicamente, de incentivar os usuários a utilizarem aplicativos dos anunciantes, principalmente aqueles que estão instalados nos dispositivos mas acabaram esquecidos.

O funcionamento é relativamente simples. Vamos supor que um usuário passe um bom tempo navegando por ofertas de eletrônicos no app de uma loja desse ramo, mas não decida comprar nada. O novo sistema é capaz de capturar essa informação e, mais tarde, exibir anúncios relacionados aos produtos buscados em jogos e outras aplicações que utilizam o iAd, redirecionando os cliques ao software original. Mais ou menos como funcionam hoje os anúncios do Facebook e Google, capazes de rastrear o histórico de navegação dos usuários, só que aplicado ao mundo mobile.

E isso não aconteceria apenas no mesmo dispositivo, levando adiante o conceito de integração entre plataformas que vem sendo alardeado pela Apple com o iOS e o Mac OS X. Como tudo gira em torno de uma mesma Apple ID, os dados de publicidade também seriam compartilhados entre todos os dispositivos da mesma pessoa, garantindo que, assim como seus trabalhos, a experiência com os anúncios seja compartilhada entre diferentes dispositivos.

Para colocar o sistema sob teste, a empresa estaria procurando agências de publicidade nos Estados Unidos. Além disso, especialistas desse mercado estariam sendo procurados para auxiliar no desenvolvimento da plataforma, garantindo novas maneiras de engajar com o usuário e de lembrar a eles sobre as aplicações instaladas e deixadas de lado.

Números que sustentam

Foi a disparidade de dados que levou a Apple a apostar novamente no iAd. Enquanto sua solução concentra apenas 2,5% do total registrado em publicidade mobile no mundo, os usuários de produtos da empresa passam 87% de seu tempo conectados a aplicativos, em vez de utilizando soluções padrão embarcadas nos aparelhos. É muita gente e muito investimento para tão pouco retorno. Números suficientes para que a empresa entenda que há um problema acontecendo e tente resolvê-lo.

iAd

Os dados, inclusive, colocam a empresa à frente de outras concorrentes, como a Amazon e o próprio Google, que também possuem soluções semelhantes. A grande diferença, aqui, é a quantidade de dinheiro que é repassada aos anunciantes, já que a Maçã promete entregar 60% de sua renda com publicidade àqueles que permitirem que as propagandas sejam exibidas em seus aplicativos.

Além disso, a companhia estaria trabalhando em mais transparência, com plataformas para acompanhamento de números e investimentos mínimos de US$ 50, de forma a abrir as portas também para pequenas empresas e desenvolvedores. São artifícios essenciais para o sucesso da empreitada, que a Apple espera ver dando frutos no futuro próximo.

Deve ajudar bastante também uma integração que estaria planejada com serviços como o iTunes Radio e o Beats Music, trazendo mais dados sobre os gostos e comportamento dos utilizadores. Assim, não apenas anúncios de apps e serviços, mas também sobre lançamentos de entretenimento poderiam ser exibidos por meio do iAd - e é aqui que está uma bela fatia dos ganhos, já que produtoras e distribuidoras do ramo costumam investir muito em formatos inovadores e em segmentos recheados por seu público alvo.

Por enquanto, tudo não passa de especulação. Mas as informações sobre os planos são completas o suficiente para serem levadas em conta. Além de tudo, todas elas fazem sentido pois, como disse uma das fontes ouvidas pelo Business Insider, “o iAd é a garota mais bonita da festa, forçada a passá-la com um saco na cabeça”. Por enquanto, a bela dama ainda não se pronunciou sobre o assunto, mas a expectativa é que os resultados dessa nova empreitada vejam a luz do dia logo logo.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.