Apple estaria tendo dificuldades para lançar o iPhone 6 na China

Por Redação | 16 de Setembro de 2014 às 15h14

Nem tudo é festa, alegria e antecipação no reino da Apple. Apesar de já ter falado em recordes de pré-venda com o iPhone 6 e estar na expectativa de um esgotamento dos estoques do aparelho em praticamente todos os países, a empresa pode acabar ficando de fora de um mercado importante: o da China. Pelo menos é isso que afirmam uma série de rumores surgidos nesta terça-feira (16), que indicam que a gigante de Cupertino estaria tendo dificuldades para lançar o aparelho no território asiático.

A principal questão seria a falta de aprovação por parte do MIIT (Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação, na sigla em inglês), o equivalente chinês à nossa Anatel. Como no Brasil, o órgão deve analisar e certificar todos os produtos eletrônicos que serão vendidos oficialmente no país. E é justamente isso que a Maçã não estaria conseguindo, devido a motivos não revelados.

Não se fala muito no assunto, mas já é praticamente certeza que o iPhone 6 não chegará às lojas da China no dia 19 de setembro, como seriam os planos iniciais da Apple. Até o momento, o MIIT ainda não publicou certificações sobre o produto e, de acordo com as informações do Phone Arena, a fabricante pode ter que esperar até o início do ano que vem para conversar com especialistas do órgão e finalmente chegar a um acordo quanto ao lançamento.

A notícia não foi confirmada ainda, e a Apple nem se pronunciou sobre o assunto. Nada disso, porém, impediu uma queda de quase 1,45%% nas ações da companhia, que operam em pregão valendo US$ 100,16 e interrompendo uma sequência de altas que já vinha desde antes do evento que anunciou os celulares.

Mal só que nem tanto

A notícia pode ser ruim principalmente para a China Mobile, uma das principais operadoras de telefonia do território. A empresa foi uma das primeiras a falar abertamente sobre o iPhone 6, chegando até mesmo a revelar imagens oficiais antes de um anúncio da própria Apple, e abrindo páginas de pré-venda para seus clientes muito antes de receber aprovação da Apple para fazer isso.

No entanto, a companhia não estaria muito preocupada. A China Mobile parece estar se distanciando um pouco da Apple e modificando sua estratégia, fomentando o mercado de celulares no território por meio de programas de incentivo à compra de aparelhos mais baratos, fabricados por lá mesmo. É assim que a operadora pretende cortar os próprios custos nos próximos anos, além de incentivar novos usuários a entrarem no mundo da tecnologia e, no futuro, investirem em smartphones de alto valor.

Com esse sistema, a empresa fugiria do nicho dos aparelhos atrelados a planos de telefonia, que apesar de resultarem em preços mais baixos, são também um dos grandes responsáveis por custos. Para a China Mobile, no momento, a venda de smartphones sem esse tipo de subsídio parece vantajosa.

Agora, com a possibilidade de atraso na chegada do iPhone 6 ao país, a empresa poderia se preparar melhor para o lançamento, e espera acumular ainda mais vendas por conta da ansiedade dos usuários. Ela só não tem pressa para que isso aconteça. Mas o cenário pode mudar, levando em conta uma queda de 3,8% nas ações após a divulgação da negativa novidade sobre os dispositivos da Apple.

O iPhone 6 será lançado nesta sexta-feira, 19 de setembro, em versões com telas de 4,7 polegadas e 5,5 polegadas. O Brasil, assim como a China, ainda não tem previsão de quando irá receber os novos aparelhos.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.