Apple e Samsung selam trégua e encerram briga de patentes fora dos EUA

Por Redação | 06.08.2014 às 13:00
photo_camera Divulgação

A guerra entre Apple e Samsung nas disputas judiciais de patentes chegou ao fim, pelo menos fora dos Estados Unidos. Como informa a Bloomberg, as duas companhias publicaram um comunicado conjunto na madrugada desta quarta-feira (6) no qual concordam em retirar todos os processos de caráter internacional que têm uma contra a outra. Com isso, a decisão afetará as reivindicações feitas em países como Austrália, Japão, Coreia do Sul, Alemanha, Holanda, Reino Unido, França e Itália.

"Samsung e Apple concordaram em renunciar a qualquer disputa entre as duas empresas fora dos Estados Unidos", destaca a Samsung no comunicado. "Este acordo não contempla qualquer autorização referente a licenças que permita um utilizar as patentes do outro e as empresas mantêm os processos em curso nos tribunais americanos", completa.

Especialistas acreditam que a trégua na batalha entre as duas empresas pode ser um indicativo de que ambas devem encerrar definitivamente a disputa judicial por quebra de patentes, que surgiu durante a ascensão do mercado de smartphones com tela sensível ao toque. Enquanto a Apple acusa a Samsung de copiar o design do iPhone em seus aparelhos – principalmente o touchscreen do primeiro modelo do aparelho, apresentado ao mundo em 2007 –, a sul-coreana diz que a gigante de Cupertino faz uso não-autorizado de seus componentes de tecnologia de transmissão sem fio.

Centenas de milhões de dólares estão em jogo nos processos em território americano. A Apple moveu a primeira ação contra a Samsung em 2011 por quebra de patentes do iPhone, e diversas vezes conseguiu bloquear a venda de vários smartphones da rival junto ao USITC, a comissão americana de comércio internacional. Os processos e os julgamentos no mundo todo entre os dois gigantes da tecnologia foram constantes, com vitórias para a Apple na maioria dos casos. Com isso, a companhia dona da linha Galaxy deve mais de US$ 1 bilhão ao seu concorrente americano.

Em maio deste ano, um júri federal da cidade de San Jose, na Califórnia, condenou a Samsung a pagar US$ 119,6 milhões à Apple por infringir duas patentes, valor bastante inferir aos US$ 2,2 bilhões cobrados pela Maçã. Na época, o júri considerou que todos os smartphones lançados pela Samsung infringem o documento que corresponde ao recurso "slide-to-unlock" (para destravar a tela do aparelho). A companhia também foi condenada pela função de links rápidos, mas o restante das patentes não foi incluso no processo porque, segundo a corte, não violam ferramentas como a busca universal e sincronização em segundo plano, ambas presentes no iPhone.

Samsung e Apple recorreram, sem exceção, de todos os veredictos em que foram consideradas culpadas. Contudo, a analista Claire Kim, da Daishin Securities, prevê que essa batalha chegará ao fim porque nenhuma das duas empresas ganhará nada prolongando os processos judiciais, uma vez que o mercado mudou. Michael Carrier, especialista da Universidade Rutgers na questão de patentes, também partilha da mesma opinião. "Estão em disputa quantias colossais e a Apple hesita em renunciar. Mas acredito que a empresa americana acabará por ver que não ganha nada com a teimosia", disse Carrier à AFP.

Juntas, Apple e Samsung dominam mais de 40% do mercado mundial de telefones celulares.