Apple e Bono Vox querem que você volte a comprar música digital

Por Redação | 18.09.2014 às 17:38

O mundo da música passa por mais uma transição atualmente, deixando cada vez mais para trás o modelo de downloads pagos de músicas em prol dos serviços de streaming gratuitos ou mediante assinaturas. Para muita gente, ouvir diretamente pela internet é uma alternativa melhor do que ficar baixando e carregando arquivos em dispositivos. Mas essa não é uma tendência que vem agradando muito à Apple e bandas como o U2, por exemplo.

Em uma entrevista para a revista americana Time, o líder do grupo irlandês, Bono Vox, disse estar trabalhando ao lado da Maçã em um projeto “tão empolgante para os fãs de música que fará com que eles voltem a fazer downloads pagos”. O artista não deu muitos detalhes sobre a empreitada, mas disse se tratar de um novo sistema que deve, também, combater a pirataria e retomar os velhos ganhos da indústria fonográfica.

Quem tem acompanhado as notícias recentes sabe que qualquer iniciativa do tipo vem como algo muito interessante para a Apple. A empresa tem visto suas receitas de vendas na iTunes Store caindo na mesma medida em que os ganhos e popularidade de serviços como Spotify, Pandora, Rdio e outros só crescem, mesmo que muitos analistas considerem o modelo adotado por tais plataformas extremamente difícil de se monetizar, enquanto artistas reclamam do pagamento de royalties abaixo do esperado.

Foi essa necessidade de se adequar que levou a empresa a adquirir a Beats Electronics, a renomada fabricante de fones de ouvido e equipamentos de áudio que também conta com um recém-lançado serviço musical em seu portfólio. Seria ele o grande foco de atenção da Apple no momento, como forma de brigar até mesmo com concorrentes como o Google, que está prestes a lançar sua própria plataforma de streaming baseada no YouTube.

A parceria entre U2 e Apple, porém, foi alvo de controvérsia recentemente, quando, após o evento de anúncio do iPhone 6, usuários da iTunes Store foram surpreendidos com o download não autorizado do novo álbum da banda, Songs of Innocence, para seus dispositivos com iOS. As críticas levaram a empresa a lançar uma ferramenta que tem como único propósito remover o disco da lista de músicas de seus clientes.