Apple deve demitir 200 funcionários da Beats Electronics

Por Redação | 31 de Julho de 2014 às 14h30
photo_camera Divulgação

A Beats passará por sua primeira grande reestruturação após ser adquirida pela Apple. Fontes familiarizadas com o assunto disseram aos sites 9to5Mac e New York Post que a gigante de Cupertino já começou a trabalhar na transição de funcionários da Beats. No total, cerca de 200 trabalhadores da companhia devem ser demitidos durante o processo de fusão das duas empresas a partir do começo de agosto.

A redução, segundo o NYP, equivale a 40% da força de trabalho da Beats em todo o mundo, e o corte será principalmente nas áreas financeira, de suporte e de recursos humanos, além de outras posições que não possuem espaço nos planos de adaptação da Apple. Tudo indica que todos esses cargos passarão para o controle dos profissionais das respectivas divisões que já estão na Apple.

Alguns executivos da Maçã visitaram a sede da Beats em Santa Mônica, no sul da Califórnia (Estados Unidos), para notificar os membros da empresa. Esses executivos também ofereceram a alguns funcionários da Beats posições dentro da Apple. O 9to5Mac destaca que muitos trabalhadores já foram dispensados nas últimas semanas, e que outras pessoas ocuparão seus cargos atuais até janeiro de 2015, quando a transição para a Apple estiver totalmente completa.

Fora esse processo de demissões, a Apple também começou a trabalhar na transição de tecnologias da Beats, como por exemplo levar o serviço Beats Music para dentro da infraestrutura do iTunes. Contudo, tal procedimento não estaria sendo fácil, uma vez que parte da tecnologia da Beats não seria compatível com os servidores existentes na Apple. A previsão é de que alguns componentes e elementos do Beats Music sejam reprojetados em um futuro próximo, mas ainda não se sabe como isso irá acontecer.

Os executivos da alta cúpula da Beats e também cofundadores da empresa, Jimmy Iovine e o rapper Dr. Dre, não serão afetados pelas demissões e continuarão desenvolvendo novos produtos para a Apple. A dúvida que fica é se Trent Reznor e Ian Rogers, respectivamente o CCO e CEO da Beats, irão para a Maçã após o período de transição estar completo - uma outra fonte ligada às duas companhias diz que ambos os executivos continuarão exercendo seus cargos na Beats, que permanecerá com sua sede em Santa Mônica.

Embora faça parte da Apple, a ideia inicial é que a empresa continue operando de forma independente, ou seja, os equipamentos, ferramentas e aplicativos da fabricante de fones de ouvido ainda serão vendidos sob o selo da Beats. Fundada em 2008, a Beats Electronics é conhecida principalmente entre jovens e celebridades antenados no mundo da moda e design, e foi comprada oficialmente pela Apple no final de maio deste ano por US$ 3 bilhões. Segundo o CEO da Maçã, Tim Cook, a fusão das duas empresas "representa a continuidade de um projeto de inovação e criação de novos serviços para clientes da marca".

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.