Apple anuncia resultados financeiros e tem maior lucro trimestral na história

Por Redação | 27.01.2015 às 21:34

A Apple liberou, nesta terça (27), os resultados financeiros referentes ao primeiro trimestre fiscal de 2015 (Q1), e os números com certeza deixaram os acionistas bastante animados.

Isso porque a empresa apresentou os maiores lucros e faturamento da história. Foram 74,6 bilhões de dólares de receita e 18 bilhões de lucro líquido, bem acima do previsto em outubro do ano passado. A própria Apple havia estimado um faturamento entre US$ 63,5 e US$ 66,5 bilhões, e analistas de Wall Street esperavam algo em torno de 67,5 bilhões de dólares. Com isso, o resultado foi cerca de 20% maior do que o mínimo esperado pela empresa.

“Nós gostaríamos de agradecer aos nossos clientes por esse incrível trimestre, em que a demanda por produtos da Apple cresceu a um nível nunca visto antes”, afirmou o CEO da companhia, Tim Cook, em um comunicado.

A receita deste trimestre foi 30% maior do que o mesmo período do ano passado, impulsionada pelas vendas das festas de fim de anom que a Apple costuma ter o maior volume de vendas de iPhones, iPads e Macs. Em relação ao período anterior, o último de 2014, o aumento no lucro também foi impressionante, passando de 8,5 bilhões para 18 bilhões de dólares.

Gráfico Receita e Lucro da Apple

Imagem: The Verge

Como de costume, a empresa não deu detalhes sobre as vendas do iPhone 6, mas pesquisas de mercado mostram que a demanda pelo iPhone 6 Plus é bem menor do que a pelo irmão menor. No entanto, o primeiro phablet da empresa tem uma margem de lucro bem maior. Outro fator importante é que o preço médio dos iPhones subiu de 603 para 687 dólares – o que multiplicado por 74,5 milhões de unidades vendidas no total faz uma diferença enorme. A quantidade de iPhones vendida neste trimestre é 41% maior do que o mesmo período de 2014.

Em relação ao iPad, as vendas caíram 18%, passando de 26,5 milhões de unidades para 21,5 milhões. No entanto, o esfriamento na venda de tablets já era algo previsto, tendo em vista que os usuários tendem a permanecer mais tempo com os dispositivos e demoram para comprar uma versão mais nova.

Os computadores Mac continuam a ser uma parcela importante nos lucros da empresa, e novos modelos como o iMac Retina 4K, MacBook Pro e Mac mini tiveram boas vendas, ajudando a companhia a vender 5,52 milhões de unidades no total, contra 4,84 milhões no primeiro trimestre fiscal de 2014.

Uma novidade foram as vendas de dispositivos da Maçã na China, que tiveram o maior valor na história, crescendo 157% de um período para o outro, e 70% no ano a ano. Foram 16,14 bilhões de dólares em receita, provavelmente impulsionada pelas vendas de iPhones no gigante asiático, que inclusive foram maiores do que nos próprios EUA.

A Apple não divulgou as vendas individuais de iPods, colocando-os junto com outros produtos em uma única categoria, que incluem a Apple TV, os fones de ouvido Beats, e, em breve, o Apple Watch. No trimestre passado as vendas de iPod representaram menos de 1% do faturamento da companhia, porcentagem bem abaixo do que em 2006, quando os dispositivos foram responsáveis por 55,5% da receita, levando à Apple 5,75 bilhões de dólares.

O próximo trimestre não deve ter números tão gordos assim, mas, ainda, bem impressionantes. A companhia espera faturar entre 52 e 55 bilhões de dólares, e analistas estão prevendo algo em torno de US$ 53,71 bi. A grande expectativa girará em torno do Apple Watch, já que o relógio inteligente dependerá de um iPhone para funcionar, o que pode impulsionar ainda mais as vendas do smartphone da Apple – ou gerar o efeito contrário, limitando as vendas. Nos próximos meses saberemos.

Fonte: http://www.theverge.com/2015/1/27/7923461/apple-q1-2015-earnings