Apple Pay está sendo usado para realização de compras com cartões roubados

Por Redação | 06 de Março de 2015 às 17h44
photo_camera Divulgação

Em uma virada inesperada até mesmo pela própria fabricante, parece que o Apple Pay vem sendo usado para facilitar a vida de criminosos que realizam compras irregulares, utilizando cartões roubados. A ideia é que o sistema de pagamentos da empresa estaria facilitando a vida dos bandidos, já que eles não precisam mais efetivamente clonar os plásticos obtidos ilegalmente, bastando apenas criar uma conta na plataforma.

Quem falou sobre o assunto foi o Wall Street Journal, que, inclusive, já havia denunciado a situação em reportagens anteriores. O mais recente texto tem a ver com um vazamento de dados dos sistemas de pagamento de grandes lojas americanas, como Home Depot e Target, que viram informações bancárias de seus clientes vazando algumas semanas após a ação de hackers.

E, por ironia do destino, cerca de 80% das compras irregulares realizadas com os cartões roubados estariam sendo realizadas em lojas físicas da própria Apple. Sabendo que a situação já estaria nas páginas dos jornais e que, muito em breve, os plásticos seriam cancelados, os criminosos estariam utilizando o Pay para comprar tablets, celulares e acessórios nos estabelecimentos da Maçã, de forma que a aquisição não possa ser cancelada após a detecção da fraude.

De acordo com o jornal, mesmo os sistemas de segurança colocados em vigor pelos bancos estão sendo facilmente burlados pelos criminosos. O veículo explica que as instituições funcionam de duas maneiras quando o usuário cadastra um cartão – ou o sistema cria um “green path”, que significa situação regular e caminho livre para as compras, ou um “yellow path”, que exige verificação adicional. A questão é que isso seria feito com informações fáceis de conseguir, como os quatro últimos números de identificação ou a data de nascimento do cliente.

O jornal afirma ainda que os bancos simplesmente não estão preparados para lidar com a nova onda de pagamentos mobile, e que a responsabilidade sobre tais problemas deveria recair sobre eles. Mesmo assim, a Apple já disse que estudaria medidas para evitar que seu mais novo serviço seja utilizado para fins maliciosos, apesar de não ter entrado em detalhes sobre o que exatamente será feito.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.