Após aporte de R$ 71 mi, Zenvia foca em aquisições e expansão internacional

Por Rafael Romer | 17 de Novembro de 2014 às 16h50
photo_camera Divulgação

No começo do mês, a empresa brasileira de serviços móveis Zenvia anunciou o recebimento de um aporte de R$ 71 milhões, que será dividido entre o braço de participações do BNDES, o BNDESPar e do fundo de investimento focado em empresas de tecnologia DLM. Com o investimento, a companhia baseada em Porto Alegre (RS) agora se prepara para colocar em movimento duas estratégias: a expansão de suas ofertas de serviços móveis corporativos e o desembarque em novos mercados internacionais.

Ao Canaltech, o CEO da Zenvia, Cássio Bobsin, explicou que isso deverá ocorrer de duas formas. A primeira será na será a ampliação da inovação dentro empresa, através da integração de novos serviços para o portfólio de negócio. "Vamos atuar mais próximos de marcas na relação entre empresas e consumidores, usando tecnologias móveis. Queremos integrar novas tecnologias para auxiliar as marcas a interagirem melhor com seus consumidores", explicou.

Hoje, a Zenvia atua com 4.500 empresas no país, atingindo cerca de 3 milhões de consumidores com suas ofertas de marketing móvel e de conteúdo de serviços móveis. De acordo com Bobsin, esses setores são responsáveis por aproximadamente de 60% e 40% do seu faturamento, respectivamente. A ampliação deverá ser feita através do investimento no desenvolvimento de tecnologias dentro de casa, estratégia que passará pela expansão da equipe da Zenvia. De acordo com Bobsin, a expectativa é aumentar seu time dos atuais 120 colaboradores para cerca de 200 pessoas até o final de 2015.

Mas uma parte considerável do investimento também deverá ser reservado para novas aquisições pela Zenviam - a segunda forma do plano de expansão da empresa. "Como estamos construindo uma operação para a consolidação de mercado, o que estamos procurando são empresas ou que fortaleçam nossa posição e ampliem nosso portifólio ou expandam nossa atuação para mercados em outros países", disse Bobsin.

De acordo com o executivo, ainda não há um roadmap fechado de como a expansão da empresa para outros mercados deverá acontecer. Apesar disso, o foco inicial será em outros mercados da América Latina, com foco na Colômbia e México, países com níveis altos de crescimento da penetração de smartphones, como o Brasil.

Aquisições não são nenhuma novidade para a Zenvia, que deve à integração de tecnologias de empresas adquiridas boa parte do seu crescimento de 95% ao ano entre 2007 e 2013 no mercado nacional.

Fundada em 2003 pelos sócios Bobsin e Victor Knewitz com o nome de Human Mobile, a Zenvia só assumiu o nome atual após a aquisição da concorrente no setor de SMS corporativo, Comunika, em 2011. Em 2012, a empresa também adquiriu a líder em soluções de carrier Purebros, e, no ano passado, a startup Zynk, focada em distribuição de conteúdos para smartphones.

Para este ano, a previsão é de um crescimento de 50% no faturamento em relação ao ano passado, atingindo a marca de R$ 150 milhões. Segundo o CEO, em 2016 a empresa deverá fazer sua listagem no Bovespa Mais, segmento da BM&FBOVESPA focada em fomentar o crescimento de pequenas e médias empresas através do mercado de capitais.

"A abertura de capital é, na verdade, um meio para nós fazermos captação [de recursos]. Então estamos montando nosso plano de empresa para fazer a abertura de capital em até cinco anos. Mas tudo depende da janela de oportunidade do mercado, que não está favorável", concluiu.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.