Antitruste: rivais querem que buscas do Google sejam reguladas

Por Redação | 27 de Junho de 2013 às 12h00

Os rivais do Google que estão contra a empresa no caso antitruste da Comissão Europeia não ficaram satisfeitos com as propostas apresentadas pelo gigante da web para sanar o caso de suposta anticoncorrência nos resultados de busca do seu motor. A sugestão do grupo é que a busca online passe a ser regulada por algum órgão competente.

O período de testes imposto pela Comissão para que o mercado avaliasse a eficiência das novas medidas propostas pelo Google expira nesta quinta-feira (27), mas muitos queixosos se reuniram em Bruxelas na última terça-feira (25) para apresentar a sua posição a respeito do assunto. E essa posição não é nada favorável às propostas do Google.

De acordo com informações do PCWorld, o grupo disse que a pesquisa online é uma ferramenta importante na Internet, e por isso deve ser regulada como um serviço de telecomunicações ou de eletricidade. "Todo mundo depende dela. Infelizmente, ninguém do mercado pensou que uma única empresa controlaria o acesso à Internet", disse Michael Weber, CEO da Hot Map, uma das empresas queixosas. O Google detém 95% do mercado de buscas na União Europeia.

A principal reclamação das empresas rivais é que as propostas do Google não vão longe o suficiente, uma vez que não se aplicam às buscas redirecionadas para novos domínios de alto nível, como 'fly' ou 'hotel', por exemplo. "Como requisito mínimo, o Google deve manter todos os serviços, incluindo os seus, exatamente nos mesmos padrões, usando exatamente o mesmo rastreamento, indexação, ranking, display e algoritmos de penalidade", disse Helmut Heinen, presidente da federação de editores de jornais alemães, que também assinou contra o gigante da web no caso antitruste.

Entenda o caso

O Google está sob investigação da Comissão Europeia desde novembro de 2010, depois que vários rivais acusaram o gigante da web de definir seus algoritmos para direcionar os usuários para seus próprios serviços, reduzindo assim a visibilidade de sites e serviços concorrentes. A empresa também foi acusada de impor restrições contratuais que impedem que os anunciantes movam suas campanhas online para motores de busca rivais.

No dia 25 de abril de 2013, o Google propôs medidas específicas para lidar com essas queixas e os rivais interessados foram convidados pela Comissão Europeia para realizar um "teste de mercado" com as novas propostas. O Google propôs, entre outras coisas, incluir os links para os serviços de busca rivais nos resultados de pesquisa sobre restaurantes especializados, além de separar seus serviços pagos da pesquisa geral e tratá-los como publicidade.

Saiba mais:

Google acredita que fez um bom trabalho no caso antitruste da Comissão Europeia

Pela primeira vez, Google aceita alterar ferramenta de buscas

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.