Antitruste: rivais querem que buscas do Google sejam reguladas

Por Redação | 27 de Junho de 2013 às 12h00
TUDO SOBRE

Google

Os rivais do Google que estão contra a empresa no caso antitruste da Comissão Europeia não ficaram satisfeitos com as propostas apresentadas pelo gigante da web para sanar o caso de suposta anticoncorrência nos resultados de busca do seu motor. A sugestão do grupo é que a busca online passe a ser regulada por algum órgão competente.

O período de testes imposto pela Comissão para que o mercado avaliasse a eficiência das novas medidas propostas pelo Google expira nesta quinta-feira (27), mas muitos queixosos se reuniram em Bruxelas na última terça-feira (25) para apresentar a sua posição a respeito do assunto. E essa posição não é nada favorável às propostas do Google.

De acordo com informações do PCWorld, o grupo disse que a pesquisa online é uma ferramenta importante na Internet, e por isso deve ser regulada como um serviço de telecomunicações ou de eletricidade. "Todo mundo depende dela. Infelizmente, ninguém do mercado pensou que uma única empresa controlaria o acesso à Internet", disse Michael Weber, CEO da Hot Map, uma das empresas queixosas. O Google detém 95% do mercado de buscas na União Europeia.

PECHINCHAS, CUPONS, COISAS GRÁTIS? Participe do nosso GRUPO DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A principal reclamação das empresas rivais é que as propostas do Google não vão longe o suficiente, uma vez que não se aplicam às buscas redirecionadas para novos domínios de alto nível, como 'fly' ou 'hotel', por exemplo. "Como requisito mínimo, o Google deve manter todos os serviços, incluindo os seus, exatamente nos mesmos padrões, usando exatamente o mesmo rastreamento, indexação, ranking, display e algoritmos de penalidade", disse Helmut Heinen, presidente da federação de editores de jornais alemães, que também assinou contra o gigante da web no caso antitruste.

Entenda o caso

O Google está sob investigação da Comissão Europeia desde novembro de 2010, depois que vários rivais acusaram o gigante da web de definir seus algoritmos para direcionar os usuários para seus próprios serviços, reduzindo assim a visibilidade de sites e serviços concorrentes. A empresa também foi acusada de impor restrições contratuais que impedem que os anunciantes movam suas campanhas online para motores de busca rivais.

No dia 25 de abril de 2013, o Google propôs medidas específicas para lidar com essas queixas e os rivais interessados foram convidados pela Comissão Europeia para realizar um "teste de mercado" com as novas propostas. O Google propôs, entre outras coisas, incluir os links para os serviços de busca rivais nos resultados de pesquisa sobre restaurantes especializados, além de separar seus serviços pagos da pesquisa geral e tratá-los como publicidade.

Saiba mais:

Google acredita que fez um bom trabalho no caso antitruste da Comissão Europeia

Pela primeira vez, Google aceita alterar ferramenta de buscas

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.