Amazon perde US$ 7 milhões no trimestre, mas Jeff Bezos 'não se importa'

Por Redação | 26.07.2013 às 11:16

No segundo trimestre de 2013, a Amazon registrou uma receita de US$ 15,7 bilhões e perda de US$ 7 milhões – ou US$ 0,02 por ação. As ações da empresa encerraram a última quinta-feira (25) em US$ 303,40.

Seu lucro operacional foi de US$ 79 milhões, enquanto os custos associados aos centros de armazenamento e distribuição subiram para US$ 1,84 bilhão, perante US$ 1,36 bilhão no primeiro trimestre do ano. Os custos relacionados à tecnologia e conteúdo, que incluem despesas relacionadas ao Kindle e licenciamento para mídia, subiram para US$ 1,59 bilhão em comparação a US$ 1,08 bilhão no trimestre anterior.

As despesas operacionais da companhia subiram 23% no último trimestre. Mas outro número pode explicar esse aumento nos gastos operacionais: a Amazon registrou um notável aumento em sua quantidade de funcionários. Em 2010, eram 28.300 colaboradores. Entre os meses de abril e junho de 2013 a companhia registrou 97 mil funcionários, conforme informações do GeekWire.

A estatística não inclui trabalhadores temporários e nem mesmo os trabalhadores dos seus centros de atendimento em todo o mundo. O gráfico abaixo ilustra o crescimento na quantidade de funcionários em relação à Microsoft e Google ao longo do mesmo período.

Quantidade de funcionários empresas tech

Opinião do presidente-executivo da Amazon

Na verdade, Jeff Bezos, o presidente-executivo da Amazon, não se importa com o que as pessoas pensam a respeito do balanço financeiro apresentado pela Amazon. Honestamente, ele sequer se preocupa com a reação visceral de Wall Street em relação a ele.

Bezos está no Vale do Silício trabalhando na divisão de hardware da empresa, conforme uma pessoa familiarizada com o assunto disse ao BusinessWeek. Para o executivo, os relatórios de lucros da empresa tendem a ser bastante irregulares.

Convenhamos que também é difícil ganhar muito dinheiro quando você está abrindo centros de atendimento em todo o país, fabricando seu primeiro set-top-box, se preparando para lançar um smartphone, comprando conteúdo para concorrer com o Netflix e mergulhando em novas categorias de produtos a fim de revolucionar a sua oferta.